Versão Impressa

Jornal A Hora

Pensar Teutônia

Publicada em 24/05/2016

Cooperativismo exala desenvolvimento

Crédito: Anderson Lopes DSC_0791

Teutônia é a cidade gaúcha com o maior percentual de cooperativados em relação ao número de habitantes. Aos 35 anos, encontrou vocação no trabalho integrado, onde 82% da população está ligada a uma das cooperativas instaladas na cidade – Certel, Languiru, Sicredi, Cooperagri e Comatra.

Com localização geográfica estratégica, o município ocupa índices de desenvolvimento e evolução singulares. Em pouco mais de três décadas de autonomia política e administrativa, tornou-se uma das principais economias regionais, a frente de núcleos urbanos emancipados muito antes.

Mais do que um município dividido em três grandes centros, a cidade que canta e encanta – título que leva devido à cultura do canto coral e da orquestra – serve de referência para toda a microrregião, formada por sete municípios vizinhos.

O agronegócio se consolida a cada ano como a principal motriz econômica e de desenvolvimento, alicerçado no Colégio Teutônia, o maior e principal da região, fundado há mais de 60 anos. Está condicionada sobre o setor primário a previsão de crescimento orçamentário, com destaque para as áreas leiteira, suinícola e avícola. Em paralelo, a indústria continua com papel social e de renda preponderante, em especial no bairro Canabarro, onde o calçado é garantia de emprego para centenas de famílias.

Mas nem tudo é motivo de comemoração. Teutônia sofre a pressão natural de qualquer centro urbano em desenvolvimento e, assim como na maioria das cidades, carece de planos e obras de infraestrutura para acompanhar o crescimento ordenado. A Via Láctea, que liga a Rota do Sol à BR-386, é o exemplo mais contumaz dessa fragilidade. A rodovia de pista simples e dezenas de acessos secundários é insuficiente para comportar o volume de veículos diário.

No perímetro urbano, o número de acidentes nas vias públicas continua a desafiar gestores a encontrar fórmulas de reduzir os registros. Não menos necessária se faz uma revisão no Plano Diretor para conciliar os conflitos forçados pelo avanço urbano sobre as áreas rurais – principal vocação econômica do município.

De um modo geral, Teutônia cresceu muito. Colhe frutos de parcerias público-privadas que despertam empreendedorismo e elevam a qualaidade de vida. Ao passo que consolida sua representatividade econômica e social para o Vale, precisa ampliar o debate para evitar contrastes limitantes. Se não planejar e ordenar a ocupação urbana e rural, eles tendem a se multiplicar.

3×4 atual

População: 30.170

Área territorial: 178,460 km²

Densidade demográfica: 152,68 pessoas por km²

Renda per capita – Rural: R$ 706,67

Renda per capita – Urbana: R$ 767,67

Renda familiar rural: R$ 2.395,05

Renda familiar urbana: R$ 2.522,34

Leia mais

• Campo e cidade garantem a renda

• Cooperativismo: base sólida impulsiona o desenvolvimento

• Administrar três centros urbanos desafia a gestão

• Frota aumenta e número de acidentes dispara

• Colonizadores ensinaram a cantar e encantar

• Via Láctea não acompanha desenvolvimento

Notícias relacionadas
Vale do Taquari

Mais de cinco mil ainda não sacaram o PIS

Caixa divulga lista referente ao abono de 2015. Prazo para retirada encerra sexta

Estado

Audiência debate regras em açougues e fiambrerias

Novas exigências geram preocupação ao setor

Imigrante

Município subsidia serviços de máquinas

Para melhorar a infraestrutura das propriedades rurais, o governo subsidia em 50% os serviços de escavadeira … Leia mais