Versão Impressa

Jornal A Hora

CDL 50 Anos

Publicada em 23/06/2016

União fortalece comércio e torna Lajeado um polo

Crédito: Arquivo A Hora Nas últimas três décadas, o município obteve altos índices de desenvolvimento. No comércio, cidade conquistou reconhecimento estadual devido a promoções como o Lajeado Brilha
Nas últimas três décadas, o município obteve altos índices de desenvolvimento. No comércio, cidade conquistou reconhecimento estadual devido a promoções como o Lajeado Brilha

As pequenas e médias empresas são as mais representativas na formação da economia local. Para fortalecer o setor, a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) ajuda na organização do empresariado local, oferece serviços de análise de crédito e contribui para a consolidação de Lajeado como principal cidade do Vale na oferta de produtos e serviços.

Especial CDL

O segmento lojista é uma das principais motrizes da economia local. Nos municípios do Vale, só o varejo emprega mais de 17 mil pessoas. Na maior cidade, Lajeado, os trabalhadores com carteira assinada representam 42,8% das vagas nos estabelecimentos comerciais da região. Conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, cerca de 7,5 mil pessoas atuam emempresas desse setor em Lajeado.

A rua Júlio de Castilhos é a principal via comercial do Vale. Na extensão da av. Senador Alberto Pasqualini até a beira rio, os destaques são as lojas de varejo. Somam-se estabelecimentos para acessórios, calçados, bazares, mercados, eletrônicos, móveis. Uma diversidade capaz de atrair clientes de diversas cidades do Vale.

Para o pedreiro Glacio Schaeffer, 54, comprar em Lajeado é uma novidade. Morador de Teutônia, passou a frequentar as lojas faz um ano e meio, tudo em razão da namorada natural de Lajeado. Considera o comércio da cidade muito positivo em razão da variedade de produtos e promoções. “Aqui eu encontro peças melhores e também boas condições para comprar. Tem mais promoções. Lá (em Teutônia), não tem esse movimento, aqui é bem mais agitado.”

Acostumada a ir às compras, a analista de relacionamento com o cliente, Laura Fauri, 38, elogia a boa relação com os atendentes. A relação se cria muito em razão da frequência nas lojas, em especial do varejo. Segundo ela, a filha Alice, de 2 anos, é a responsável por tantas idas às compras. “Eu faço compras a cada dois meses em razão da minha filha. Gosto do comércio local, por ter diversas lojas e assim podemos pesquisar bem os preços.”

Essa conquista também passa pela atuação da CDL. Entidade nascida da união de empresários locais, procura defender os interesses do segmento, prestando serviços aos associados e participando do desenvolvimento do comércio.

A entidade criou-se a partir da iniciativa de um grupo de cerca de dez empresários e logo foi buscando representatividade. No começo, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), hoje conhecido como Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), concentrava o trabalho principal. Depois, outras demandas foram surgindo. A CDL é a testemunha mais próxima da mudança de perfil do varejo, que viu a substituição dos grandes estabelecimentos de departamentos pela multiplicação de lojas de menor porte. Hoje são mais de 1,9 mil unidades, mais focadas e especializadas, em sintonia com a tendência do mercado.

Confira o caderno especial aqui.

Notícias relacionadas
Arroio do Meio

Município cria Comitê de Segurança Pública

Objetivo é promover um planejamento para reduzir os índices de violência

Lajeado

Suspensão de castrações preocupa voluntários

Administração municipal anuncia retomada nos próximos dias

Santa Clara do Sul

Governo prevê instalar doze câmeras de vídeo

Município firmou parceria com Estado. Projeto ainda está em fase de estruturação