Versão Impressa

Jornal A Hora

Comportamento

Publicada em 21/04/2017

Energia capaz de transformar

A energia gerada pelo ser humano, e objetos que o cercam, tem interferência na vida do indivíduo. Estudiosos de diferentes áreas apontam que saber controlá-la é um dos segredos para garantir bem-estar.

Crédito: Divulgção Energia: poder interior
Energia: poder interior

A física quântica afirma que tudo no universo é energia. Desde a cadeira onde senta, ao jornal que lê, e até o seu próprio corpo.

Isso acontece porque os humanos e os objetos são formados por moléculas, compostas por átomos, que contêm apenas vibrações em seu interior, ou seja, energia.

Força profunda que para diversas áreas é a principal causa dos avanços, ou regressos, que cada indivíduo conquista na vida pessoal, profissional e espiritual.

A ciência que estuda a saúde mental aponta que as energias positivas e negativas se formam no cérebro de cada pessoa. Surgem por meio dos pensamentos e sentimentos, e podem ter diversas consequências.

“A forma que você pensa está diretamente ligada à forma com que você se sente”, aponta a psicóloga Maria Copetti.

Ela afirma que se a pessoa pensa de modo positivo irá gerar emoções e sentimentos agradáveis como a alegria, esperança e a gratidão. Esses, consequentemente, provocarão a energia necessária para comportamentos mais saudáveis e funcionais.

A prática de esportes, de terapias e meditação, auxilia nessa produção e assim aumentam os níveis de energia psíquica, aponta.

“A terapia auxilia ainda na identificação e na mudança dos padrões de pensamento disfuncionais, gerando novas formas de pensar e, como consequência, um maior número de pensamentos e de comportamentos saudáveis, geradores de bem-estar.”

Quando os pensamentos são positivos, até a dor pode passar. “Pessoas com a crença de serem altamente eficazes e fortes diante dos problemas, toleram melhor a dor e reagem com uma secreção elevada de opioides quando confrontadas com um estímulo doloroso”, explica.

Isso ocorre, principalmente, quando a pessoa começa a ver a dor menos como uma catástrofe sobre a qual ela não tem controle e mais como uma condição até certo ponto controlável.

“De acordo com esse raciocínio, o que realmente faz as terapias de dor crônica funcionar é o processo de mudança cognitiva, ou seja, a intensidade da dor está intimamente relacionada com o que a pessoa acredita sobre o mundo e sobre si mesma.”

Como o cérebro pensaA doença do negativismo

Um pensamento negativo irá gerar emoções e sentimentos desagradáveis como tristeza e culpa, que ocasionam comportamentos menos saudáveis, como o isolamento e a desistência.

A preocupação com o futuro, típica da ansiedade, gera a ativação da glândula suprarrenal e a excreção de um hormônio chamado cortisol. Substância que, além de tóxica, enfraquece o sistema imunológico. “Por esse motivo, é comum que as pessoas adoeçam após passarem por um período estressante ou ansiogênico”, explica Maria.

A ativação demasiada de pensamentos ruins também pode ser a origem de doenças como a depressão. “Ao interpretar um evento neutro de uma forma negativa, a pessoa sente-se triste e age de forma a perpetuar essa emoção, com comportamentos depressivos, como ficar na cama o dia inteiro.”

Comportamentos de evitação, como utilizar álcool para distrair-se dos problemas ou o tabaco para alívio momentâneo da ansiedade, também são propulsores da diminuição da energia psíquica.

Sugestões da psicóloga Maria Copetti para “controlar a mente”

A psicóloga aponta que a produção de energia psíquica não pode ser modificada diretamente, mas o pensamento que a gera pode. Para isso, a primeira tarefa é de automonitorização.

“Aprendendo a tornar-se mais consciente dos seus padrões de pensamento, é possível modificarmos nosso padrão de pensamento, aumentando a produção de pensamentos mais realistas e positivos e consequentemente gerando mais energia positiva e qualidade de vida”, afirma.

16667011 - freedom, beautiful girl jumping
16667011 – freedom, beautiful girl jumping
Crédito: Divulgação

Energia espiritual

Já para a doutrina espírita, as energias são produzidas pelo espírito que cada pessoa tem. Sentimentos, pensamentos e emoções são as fontes geradoras dessas vibrações, que podem variar de um dia para outro.

Diretor da Associação Espírita Ramatis, Adivi Luis Secco, 55, trabalha com o espiritismo faz 15 anos. Aponta que as energias dependem da situação emocional de cada um, que é formado não só pelas energias próprias, mas de outros espíritos encarnados, e desencarnados.

Para dominar as nossas energias, Secco acredita que é necessário conhecimento interno, atual e de vidas passadas. A percepção de que a felicidade está nas pequenas coisas do dia a dia é um avanço rumo a um bom estado emocional.

Assim como assimilar as dificuldades, encarar os problemas e se livrar de sentimentos ruins, como orgulho, ódio e inveja. Orar, meditar, ouvir música e ter uma alimentação saudável também ajuda nesse processo.

“Cada vida faz parte de um processo evolutivo. Às vezes, a pessoa ainda não alcançou o nível necessário para compreender que a felicidade não está num celular novo, mas na família e amigos. Por isso, acaba sofrendo, tendo energias ruins.”

Essa falha no estado emocional também pode abrir caminho para as más correntes externas, como um carma, ou pessoas da vivência diária, que não têm o espírito evoluído. “São duas espécies de obsessor que podem lhe atingir, e sugar suas energias. Isso só não acontecerá se você estiver forte, atento ao que lhe faz mal, e o que precisa fazer para evoluir como pessoa.”

Rafael Klabunde ensina a técnica da meditação. Prática melhora concentração e autocontrole e traz paz interior, plenitude e felicidade
Rafael Klabunde ensina a técnica da meditação. Prática melhora concentração e autocontrole e traz paz interior, plenitude e felicidade
Crédito: Divulgação

O poder da meditação

Rafael Klabunde é adepto de uma das práticas mais tradicionais para transformação de energias: a meditação. Faz cinco anos, ele medita, em média, cinco vezes por semana. Cada sessão dura de dez e 20 minutos.

Acredita que a meditação é uma prática fundamental para se equilibrar, acalmar a mente, despertar a consciência para viver com mais clareza e discernimento, mais tranquilidade e assertividade.

Além de estabilizar a pressão sanguínea; traz benefícios emocionais, como redução do estresse e da ansiedade; mentais, melhora da memória, do raciocínio, da concentração e da produtividade; e espirituais, sensação de paz interior, plenitude e felicidade

Diversas religiões e filosofias espirituais, como o taoísmo, o hinduísmo, o budismo e o cristianismo apostam em diferentes formas de meditação como meio de purificação do ser humano, de transformação de energias negativas em positivas.

“Temos uma mente impura e sem disciplina que se torna descontrolada, agressiva e maléfica. A meditação seria uma espécie de treinamento mental para se alcançar maior equilíbrio e equanimidade da mente”, afirma Klabunde.

Ele relatou em dois livros as mudanças que a prática trouxe à sua vida. Hoje ensina outras pessoas a meditar, em busca de autoconhecimento e paz. “Antes, eu era confuso e vivia através de hábitos maléficos e, hoje, me sinto muito mais confiante, saudável e feliz. Sei que sou responsável por minhas emoções, sei como lidar com minha mente.”

Além da meditação, yoga, reiki, cromoterapia e acupuntura trabalham a positividade por meio do controle da mente.

Depois de identificar um pensamento negativo, a pessoa pode testar a validade do mesmo por meio das seguintes perguntas:

• Esse pensamento é baseado na realidade? Quais são as evidências que apoiam e que são contra?

• Existe uma explicação alternativa para esse pensamento?

• Qual é a pior coisa que poderia acontecer se isso fosse real? Seria possível superar isso?

• Esse pensamento tem como base alguma experiência negativa que vivenciei (especialmente na minha infância)?

• Se eu tivesse somente mais um ano de vida, esse pensamento continuaria sendo assim tão importante?

• Se esse pensamento fosse de um amigo meu, o que eu diria para ele?

A energia dos ambientes

Estudioso da biofísica, o geobiólogo Isnar Amaral acredita que as energias que afetam as pessoas não são apenas de origem espiritual, mas também física.

Energias que circulam no ambiente de trabalho ou em casa podem até ser consideradas perigosas para a saúde, aponta.

Entre as mais presentes no convívio humano atual, estão as micro-ondas, usadas pelo celular; as eletromagnéticas, presentes nas correntes elétricas; as geomagnéticas, provenientes da terra; as eletrostáticas, que movem as tubulações de água, esgoto e gás; e a energia mental, que está em cada pessoa.

“São frequências de energias sutis, não ionizantes, como aquelas dispensadas pelos aparelhos de raios x, mas que aos poucos podem interferir na multiplicação das células do DNA. Assim, agravar ou desencadear certas doenças, de acordo com a situação.”

O câncer seria uma das patologias mais comuns em quem recebe maior carga de energias externas. Como exemplo de perigo, o geobiólogo aponta o fato de dormir sobre correntes de água ou trabalhar em locais onde há quinas sobre a cabeça.

“Muitos não acreditam porque não veem, mas esses feixes de energia estão a todo momento refletindo em nós. Se passamos muito tempo num local onde elas são batidas e rebatidas, como nas quinas, somos mais afetados.”

O mesmo ocorre quando se vive ou trabalha em um ambiente com pessoas que têm pensamentos negativos. “Há pessoas com medo, angústia, outras com raiva, inveja, que acabam baixando a energia do ambiente e também podem afetar aos demais. Por outro lado, também podem estar desequilibradas por conta do ambiente.”

Ele acredita que o ideal é trabalhar, mesmo nesses casos, de fora para dentro. Tratar o ambiente, e assim melhorar as pessoas. Amaral aplica uma tecnologia alemã, bastante usada em países de primeiro mundo, para reenergizar os locais.

“Os humanos são complicados de tratar, não são constantes. Então é melhor trabalhar as energias do local, que logo elas se sentirão mais harmônicas.” Como consequência à melhora da saúde das pessoas, a técnica possibilitaria ganhos nos relacionamentos e rendimentos.

 

Notícias relacionadas
Faça você mesmo

Transforme seu tapete em uma peça antiderrapante

Poucas coisas são tão chatas – e até mesmo perigosas – no lar quanto um tapete que derrapa quando voc… Leia mais

Lajeado - Boa causa

Slan promove show beneficente

Evento artístico ocorre amanhã e busca angariar fundos para instituição

Social

Sociedade, cultura e entretenimento

Últimos compromissos A agenda intensa de ensaios, oficinas e atividades preparatórias das debutantes do CTC … Leia mais