Versão Impressa

Jornal A Hora

Coluna

Publicada em 19/05/2017

Coluna Ezequiel Neitzke

Crédito: Ezequiel Neitzke 2017_05_19_ezequiel neitzke_coluna 1

Mudanças causam disparidade

A Aslivata divulgou nesta semana as informações sobre a próxima edição do Regional. Para diminuir a diferença técnica das equipes, a diretoria fez mudanças nas inscrições dos atletas. Mas, em vez de minimizar os danos, aumentou ainda mais a desigualdade.

Segundo consta no anexo I, disponível em www.aslivata.com.br, Lajeado, Estrela e Venâncio Aires, com um número grande de habitantes, só podem inscrever jogadores que moram ou votaram na última eleição no município. Arroio do Meio, Encantado, Taquari, Teutônia, ou outros com as mesmas proporções de habitantes, podem inscrever seis atletas de fora, sendo que, em cada jogo, só quatro assinam a súmula. Os demais clubes, de municípios com menos habitantes, podem inscrever seis jogadores de fora, sendo que, em cada jogo, só cinco assinam a súmula. Os atletas, para serem considerados de fora, não podem ter vínculo com o Vale do Taquari.

Usarei dois exemplos de como a decisão da Aslivata aumentou ainda mais a disparidade entre as equipes. Coqueiro Baixo é a cidade com o menor número de habitantes do Vale. Segundo dados do IBGE, a população estimada é de 1.560 habitantes. Se o São José, clube local, tiver interesse de disputar a competição, poderá fichar seis jogadores de fora da região, e desses, cinco apenas jogam. Com uma população 18 vezes maior, Teutônia, se vier com apenas um time, tem quase os mesmos direitos que o representante de Coqueiro Baixo. Injusto não?

Querem mais injustiça? Estrela têm só três mil habitantes a mais que Teutônia e o time que representar a cidade dependerá única e exclusivamente de atletas que residem no município. Fora isso, a agremiação terá que disputar jogadores com outras cidades, como Arroio do Meio por exemplo. João Plínio mora em Estrela, mas trabalha em Arroio do Meio, pelos critérios de inscrições, ele pode jogar nas duas cidades.

Parabéns, mas em parte

A direção da Aslivata acertou em liberar a participação de cinco atletas acima de 23 anos na categoria aspirante. Isso facilita a montagem dos clubes de cidades menores, mas aumenta ainda mais a disparidade com os de municípios grandes.

Desde que o certame passou a ser disputado na categoria aspirante, em 2000, a decisão sempre teve uma agremiação de Arroio do Meio, Estrela, Encantado, Lajeado e Venâncio Aires. Além disso, nos últimos anos, Lajeado e Arroio do Meio dominam as conquistas na categoria com oito e três taças, respectivamente.


2017_05_19_ezequiel neitzke_coluna 3
Crédito: Ezequiel Neitzke

Atletas participam de torneio na Argentina

Josita Pauli Muller, Lisinka Schmith, Orilde Heineck, coordenadas pela professora e técnica Marli Dihel, participaram do XX Campeonato Sul Americano de Clubes Veteranos do Tênis, em Osário, na Argentina. Realizado entre os dias 6 e 10, o certame recebeu representantes do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile.

 

 

 


2017_05_19_ezequiel neitzke_coluna 2
Crédito: Ezequiel Neitzke

Click da semana

Na partida diante do Glória, pela última rodada da Divisão de Acesso, o zagueiro Basso entrou com o pequeno Dudu, sobrinho de Cristian Klein, fisioterapeuta do Lajeadense.

Notícias relacionadas
Grêmio

Geromel fica fora da equipe por três semanas

Zagueiro sentiu lesão na coxa direita no jogo diante o Cruzeiro

Esportes

Coluna Ezequiel Neitzke

1.Colação de grau Formado em Educação Física pela Ulbra, Ruimar Kunzel reuniu, no sábado passado, os … Leia mais

Futsal

Cidades definem finalistas a partir de hoje

Progresso, Sério e Westfália realizam semifinais