Versão Impressa

Jornal A Hora

Estilo

Publicada em 15/07/2017

Aprenda a usar chapéu no inverno

A temporada de frio pede bom gosto e sabedoria para “cobrir a cabeça”. Entenda mais sobre os tipos de chapéus e descubra em quais ocasiões apostar no acessório

Crédito: Foto Douglas Petry Conteúdo Criativo/Look Tribo imagem texto pricipal

Tendências vão e vêm, e os chapéus continuam transmitindo charme e elegância dentro e fora das passarelas. Duas palavras-chave definem o acessório: “Estilo e personalidade”. A tônica é sentir-se bem com ele e chamar a atenção pela ousadia e charme que impõe.

Os chapéus são capazes de suscitar os mais diversos olhares, e se encaixam do estilo romântico ao mais moderno. Mas atenção: existem comportamentos adequados para usá-lo. Por isso, é importante conferir algumas regras básicas de etiqueta para abusar com classe do acessório e evitar gafes.

Aposte em

• Passeios durante o dia. Se o programa for estendido pela noite, é aconselhável não usar chapéu por parecer deselegante.

• Eventos ao ar livre como festivais, casamentos, shows e passeios turísticos são perfeitos para abusar do acessório. E as fotos ficam lindas.

• Locais com grande circulação de pessoas pedem o chapéu. Destacar-se entre a multidão com estilo é uma tendência que nunca sai de moda.

• A aposta é certeira tanto em dias chuvosos quanto ensolarados.

Bye bye: chapéu

• Em museus, teatro e cinema não pega bem usar o acessório. Lembre de deixar a cabeça nua nesses locais. Em restaurantes, é de bom tom retirar antes de sentar à mesa.

• Locais de trabalho não são ambiente para eles, assim como igreja e outros templos religiosos.

• Em ônibus, metrô e no avião, é interessante retirar o chapéu. Além de desconfortável, o acessório pode atrapalhar a visão de outras pessoas.

Qual modelo de chapéu combina com seu rosto?

 

voce_13

Inspirações

Chegou a hora de se motivar com uma sessão sobre os tipos de chapéus e combinações com seu biotipo. Confira essa seleção de modelos e descubra qual se encaixa no seu estilo para garantir um look de arrasar.

voce_1

Chapéu clothe

Apareceu entre as décadas de 1920 e 1930 como o companheiro das mulheres mais independentes da época. O formato lembra um sino e a característica mais marcante são as abas curtas e caídas. Use em eventos noturnos que pedem um visual mais delicado. Quanto ao vestuário, se a intenção não for ficar com cara de boneca, alie a acessórios mais sensuais como o scarpin e casaco de couro.

 

voce_2

Chapéu floppy

O chapéu floppy é a legítima combinação do estilo romântico com o despojado. A principal característica são as abas grandes e copa bem arredondada. A modelagem faz referência ao estilo hippie das décadas de 1960 e 1970. O floppy fica perfeito em looks para dias frios, com casacões e peças mais pesadas. A dica é usar com vestidões e casacos de pele.

 

voce_3

Chapéu fedora

Semelhante ao modelo panamá, se distingue pelo material: feltro. As primeiras aparições são datadas do século 20, quando era usado por homens. O modelo é bastante democrático e vai bem com muitos estilos. Se você gosta de misturar tendências, essa é a aposta certa. Combine o chapéu com calças e saias longas. Para deixar o look mais diversificado, aposte em estampas étnicas.

 

voce_4

Chapéu coco

Nascido no fim do século 19, o modelo tem a copa mais redonda e as abas bem curvadas. Também é muito utilizado pelos homens, principalmente em situações formais, logo após a Primeira Guerra Mundial. Atenção: é necessário muito estilo para usar um chapéu coco. Para compor um look com ele, use peças pretas. Para deixar o visual mais clean, invista em acessórios em cores leves.

Notícias relacionadas
Lajeado

Fim de tarde em ritmo nativista

Um dos principais nomes da música tradicionalista gaúcha, Lisandro Amaral se apresenta em Lajeado hoje, no … Leia mais

Roca Sales

Desfile italiano homenageia imigrantes

Resgatar os valores, a cultura e a união familiar deixada pelos imigrantes italianos foi o principal objetivo… Leia mais

Arqideias

O melhor da praia, o ano inteiro

Para criar seu ambiente na CASACOR RS, a Espaço 3 se inspirou na essência do viver litorâneo no estado