Versão Impressa

Jornal A Hora

Lajeadense

Publicada em 15/07/2017

Comando do Alviazul muda nesta segunda

Eleição deve definir Alexandre Sebben como presidente

Crédito: Divulgação Novo Conselho Deliberativo toma posse na próxima segunda-feira. No dia também ocorre a eleição da diretoria
Novo Conselho Deliberativo toma posse na próxima segunda-feira. No dia também ocorre a eleição da diretoria

Após dois anos à frente do clube, Everton Giovanella passará a presidência para Alexandre Sebben. A eleição que definirá Sebben com o próximo mandatário ocorre nesta segunda-feira, a partir das 19h, na Arena Alviazul. Antes, o novo Conselho Deliberativo do Lajeadense, eleito em maio, toma posse.

Segundo o presidente do conselho, Erni Rohsig, caso outras pessoas tenham interesse em concorrer à presidência, podem apresentar uma chapa até segunda-feira. Se isso não ocorrer, a eleição será por aclamação.

Rohsig salienta que só os conselheiros têm direito a voto, mas a escolha é aberta aos associados. O mandatário adianta que a primeira iniciativa da nova direção é a reestruturação do clube. “Queremos iniciar 2018 com o pé direito, essa é nossa missão.”

Desistência da Copinha

Conforme ele, o Lajeadense desistiu da disputa da Copinha deste semestre após ver que a Federação Gaúcha de Futebol não ofereceria muita ajuda aos clubes. “O futebol é feito de receitas, e a Copinha dá muito gasto e pouco retorno.”

Ele cita o exemplo de Novo Hamburgo, atual campeão gaúcho, além de Avenida e São Luiz, finalistas da Divisão de Acesso, que não participarão da competição. “Vamos priorizar as categorias de base, para termos uma base de jogadores montada para 2018.”

Conselho Deliberativo

Presidente: Erni Rohsig
Vice-presidente: Claudir Dullius
Secretário: Neidemar José Fachinetto
Conselheiros: Arai Paulo Schmidt, José Roberto Gasparotto, Guilherme Daroit, Gilberto de Almeida Barbosa, Marcos Roberto Follmer, Diogo Baum, Giovane Marasca, Thiago Ernani Guterres, Elton de Andrade, Jatir Schaffer, Alexandre Sebben e Regis Luiz
Suplentes: Adilson Johann, Dionisio Sivinski, Estevão Seltenreich e Esduardo Krumenauer
Conselho fiscal: Renato Worm, Rodrigo Sivinski e Sérgio Augusto Schneider

Lajeadense se classifica no Juvenil

Após oito partidas, o Lajeadense encerrou a participação na primeira fase do Estadual Juvenil em segundo lugar no grupo B. Foram três vitórias, três derrotas e dois empates. Dez gols marcados e oito sofridos.

Na próxima fase, a equipe enfrentará o Três Passos Atlético Clube (Três Passos), Atlético Carazinho (Carazinho), Novo Horizonte (Santa Maria), FC Santa Cruz (Santa Cruz do Sul) e PRS (Porto Alegre).

“[…]às vezes o futebol não é como a gente quer[…]”

Everton Giovanella deixa a gestão do clube, mas deixa em aberto a possibilidade de voltar em breve.

A Hora – Nos dois anos em que esteve na presidência, o clube viveu altos e baixos. Como você avalia o seu mandato?

Everton Giovanella – Marcou muito pelo descenso, isso marcou muito. Mas faz parte do futebol. Tentei fazer o melhor possível para que o clube não ficasse em uma situação financeira complicada. Tentei equilibrar as coisas, mas infelizmente na questão esportiva, na minha gestão, acabei tendo a mágoa do descenso. Dentro do que é um clube pequeno, como o Lajeadense, e com as dificuldades que temos, ao menos conseguimos deixar o clube viável para o próximo presidente. Podia ter sido melhor, mas, às vezes, o futebol não é como a gente quer. Por isso ele é tão bonito.

20_AHORA

Você se arrepende de alguma decisão tomada durante o mandato?

Giovanella – Não arrependimento, mas talvez ter investido um pouco mais para não passar pela situação do descenso. Talvez investir um pouco mais na gestão esportiva e não ter priorizado a situação econômica. Isso talvez teria feito diferente. Apostamos muito em atletas trazidos da dupla Gre-Nal e a estratégia não deu certo. Deveria ter optado por uma equipe mais encorpada. Mas, enfim, nada é garantido no futebol. O Inter com uma baita estrutura e elenco foi rebaixado. Nada é garantido, principalmente em um Campeonato Gaúcho, em que 11 jogos definem o time rebaixado.

Qual é a condição financeira hoje?

Giovanella – Equilibrada, claro que temos algumas pendências, mas a situação é totalmente viável. Acredito que com essa decisão de não participar da Copinha, dará mais tempo para pôr as coisas em ordem. Estamos formando um Conselho Deliberativo bastante ativo, com pessoas idôneas, que estão querendo ajudar. Acredito que os projetos vão dar certo. Acho que isso é necessário para que possamos nos consolidar de uma vez por todas no Gauchão, começando com o acesso ano que vem.

Pretende retornar à presidência um dia?

Giovanella – A gente vai estar sempre junto, mas agora pretendo dar uma atenção aos meus negócios e à família. Vou estar sempre por perto para ajudar no que for preciso, mas, sobre a questão da presidência, nunca dá pra dizer não. Quem sabe um dia, a gente volta a tomar à frente do projeto e com certeza será um prazer pra mim, como foi os últimos dois anos. Queria aproveitar para agradecer a todos que fizeram parte da minha gestão, convivi com pessoas especiais e de grande caráter. Agradecer de forma especial aos funcionários que estiveram comigo, pelo repeito e carinho, dedicação e comprometimento que deram, não vou citar nomes, pois corro o risco de esquecer alguém. Meu agradecimento a todos.

Notícias relacionadas
Grêmio

Titulares podem ser poupados amanhã

Jogadores com desgaste físico ficam fora da partida contra o Atlético PR, pela Copa do Brasil

Soges

Informe Comercial Soges

Alexandre Peralta marca o gol mil Aos 12min28seg do segundo tempo, Alexsandro Peralta, atacante do Kururus GR… Leia mais

Ciclismo

Prova de Encantado reuniu cem ciclistas na quarta etapa do Gaúcho

Evento ocorreu no fim de semana e movimentou diversos pontos da cidade