Versão Impressa

Jornal A Hora

Viagem

Publicada em 05/08/2017

Inspiração e recomeço na Nova Zelândia

Morador de Lajeado ficou cerca de 20 dias no continente da Oceania e trouxe na bagagem memórias inesquecíveis

Crédito: Divulgação Lugar de evacuação caso ocorra tsunami
Lugar de evacuação caso ocorra tsunami

O médico-veterinário e consultor no segmento de frigoríficos, Tiago Pretto, 35, passou o Natal e a entrada de 2017 na Nova Zelândia. Foi sua primeira viagem ao continente da Oceania e a escolha pelo país foi bastante filosófica. É lá, na cidade de Ginsburne, que nasce o primeiro sol do ano. A atração é conhecida no mundo todo e Pretto pôde ver o amanhecer que inaugurou 2017. Foi o suficiente para repensar a vida e iniciar o ano com energia total.

Ele embarcou na trip sozinho e fez contatos importantes para o seu trabalho quando visitou algumas empresas do segmento frigorífico em busca de parcerias. Mas o que Pretto gosta mesmo de contar é a parte da diversão: além de surfar, velejar e estudar bastante, se encantou com paisagens exuberantes e foi testemunha da organização daquele país e educação dos moradores. A maioria da população é de ascendência europeia, sobretudo britânica, enquanto os nativos maoris, ou seus descendentes, são minoria.

O que mais lhe chamou a atenção na Nova Zelândia foi a cultura que, de acordo com ele, é madura, apesar de jovem. A maioria da população vive em cidades, mas grande parte da arte, filmes, literatura e humor da Nova Zelândia têm temas rurais e baseados na cultura maori.

Pretto com os amigos em uma das praias da Nova Zelândia
Pretto com os amigos em uma das praias da Nova Zelândia
Crédito: Divulgação

É claro que a beleza das paisagens não ficou de fora do encantamento de Pretto. Ele destaca a Península de Coromandel, que fica na Ilha Norte da Nova Zelândia, há duas horas de Auckland, a maior cidade do país. O local é cheio de praias encantadoras e destino certo para quem gosta de belezas naturais. Outro ponto conhecido e que não sai da memória é Bhay os Islands, também na Ilha Norte, a cerca de 230 quilômetros de Auckland. Bay of Islands é um dos destinos mais populares para quem gosta de velejar, pescar e mergulhar.

Povo ordeiro

Sobre as pessoas, o médico-veterinário é categórico ao afirmar que o povo é polido e por lá a polícia impõe respeito. “É um país seguro. Há um controle sobre o comportamento da população com horários rígidos para adolescentes voltarem pra casa, as bebidas só são vendidas mediante apresentação de documento”, conta. Pretto indica o destino para os amantes de viagens. “A cultura, as paisagens e os esportes são ótimos motivos para conhecer o país”, afirma.

Ele conta que o período na Nova Zelândia foi cheio de emoções. “O ritual de renascimento que fiz, à beira da praia, ao primeiro nascer do sol do ano no mundo todo, foi especial”, relembra. Dois fatos inusitados para ele foram dirigir em mão inglesa e passar as festas de fim de ano longe da família. Ele pretende retornar ao país dentro de dois anos para reviver experiências e desbravar novos destinos.

Notícias relacionadas
Lajeado

Encontro literário aborda as faces da palavra

O poeta e cantor Ricardo Silvestrin fala sobre sua obras com jovens

Estrela

Exposição relembra personalidades

Contribuição e pioneirismo no rádio, na TV e no cinema são evidenciados na mostra aberta até o dia 31

Estrela

Esgotadas as vagas para 3ª Caminhada Ecológica

As inscrições para a 3ª Caminhada Ecológica de Estrela, que ocorre no dia 27, se esgotaram em poucos dias… Leia mais