Versão Impressa

Jornal A Hora

Vale do Taquari

Publicada em 12/10/2017

Cirurgias eletivas são retomadas após 90 dias

Mais de 800 pacientes esperam por procedimentos após descredenciamento do Isev

Crédito: Cássia Paula Colla Hospital Estrela assume cirurgia geral. Região estuda levar especialidade para mais uma instituição de saúde
Hospital Estrela assume cirurgia geral. Região estuda levar especialidade para mais uma instituição de saúde

A oferta de cirurgias eletivas deve ser normalizada a partir de novembro. O Hospital Estrela assume as cirurgias gerais, uma das áreas que acumula maior demanda. Apenas em Lajeado e Estrela mais de 760 pessoas esperam pelo procedimento.

Outras três especialidades estavam desassistidas depois  do descredenciamento do Isev, de Taquari. O Hospital São José, de Arroio do Meio, assumiu traumato ortopedia. Os procedimentos já foram regularizados e atendimentos foram normalizados.

A instituição assume em novembro cirurgia cardiovascular e otorrinolaringologia. A decisão ocorreu em reunião dos secretários de Saúde realizada na sexta-feira.

As especialidades estavam suspensas a cerca de 90 dias. O Isev perdeu os incentivos depois de recorrentes cancelamentos repentinos dos procedimentos e de consultas, pela instituição.

A situação estava trazendo transtornos para as secretarias de Saúde. Segundo o coordenador regional de Saúde, Ramon Zuchetti, a situação ficou insustentável. Uma série de outras falhas técnicas também desagradou os gestores. O grupo optou por suspender as atividades e buscar habilitação  em outra instituição.

Fila

O número de pacientes que esperam por cirurgias aumentam desde a suspensão. A 16ª CRS não precisou a demanda total, mas ela atinge todos os municípios de abrangência do órgão.

Desde a suspensão, 662 pessoas aguardam por cirurgias gerais. O município de Lajeado cogita fazer um mutirão no Hospital Bruno Born para reduzir a fila. Em Estrela, 98 pessoas aguardam e, desde agosto, 50 esperam por consultas.

De acordo com Zuchetti, com a retomada da especialidade, pacientes na fila serão atendidos, mas a normalização deve demorar alguns meses.

08_AHORA

Região busca novas vagas

Devido à alta demanda, o colegiado de secretários de Saúde da região estuda a viabilidade de habilitar mais um hospital para oferecer o procedimento.

“Existe a necessidade de ter mais um local, mas para essa proposta sair do papel é necessário aval do Estado.” A proposta exigirá um desembolso mensal médio de R$ 50 mil.

O Hospital Beneficente Santa Terezinha (HBST) de Encantado é um dos interessados. Em julho, o grupo apresentou a proposta para a Secretaria Estadual de Saúde (SES).

A cirurgia geral é uma especialidade de média complexidade e atende pacientes com problemas na região abdominal. Os principais procedimentos são hernioplastia (hérnia) e colecistectomia (pedra na vesícula). Para obter habilitação, aspectos como infraestrutura e equipe foram analisados.

Com a referência, a instituição terá que promover 40 cirurgias e 240 consultas ao mês. As atividades serão viabilizadas com um incentivo estadual de R$ 50 mil. Na avaliação da vice-diretora do Hospital Estrela, Adriana de Siqueira, assumir a especialidade é importante para as atividades da instituição e para a própria região.

Referências no Vale

Hospital Estrela – Cirurgia geral (a partir de novembro)

Hospital São José –  Arroio do Meio – Traumato ortopedia, cirurgia Vascular (novembro) e otorrinolaringologia (novembro)

Hospital Beneficente Santa Terezinha – Encantado – Oftalmologia

Hospital Ouro Branco – Teutônia – Traumato ortopedia, cirurgia vascular, otorrinolaringologia (atende parte da região, os demais eram atendidos no Isev), bucomaxilofacial e proctopexia

Isev– Taquari – Perdeu habilitação para atender municípios da região. Deve atender apenas pacientes do próprio município

Hospital São Gabriel Arcanjo – Cruzeiro do Sul – Desde 2016, está com o bloco cirúrgico interditado e não faz procedimentos.

Hospital Bruno Born  – Lajeado – É referência na região em procedimentos de alta e alta complexidade como neurologia e cardiologia

Cássia Paula Colla: [email protected]

 

Notícias relacionadas
Encantado

Vereadores recorrem a deputados

Precariedade da ERS- 332 é alvo de críticas. Daer não prevê data para melhorias

Vale do Taquari

“A migração já está ocorrendo”, diz Cyrne sobre EAD

Para vice-reitor, ingresso no ensino a distância supre demanda existente na região

Vale do Taquari

Ano letivo acaba dia 14 de janeiro, sustenta o Estado

Aulas devem ser presenciais e efetivas, com retomada de toda a carga horária atrasada