Versão Impressa

Jornal A Hora

Opinião

Fernando Weiss Fernando WeissDiretor de Redação do A Hora

Coluna aborda política e cotidiano sob um olhar crítico e abrangente

Coluna publicada às quartas-feiras
Publicada em 12/07/2017

Remendão

Crédito: Rodrigo Martini 2017 06 01 RODRIGO MARTINI stacione rotativo lajeado

Perdi, e faz tempo, a conta de quantas reportagens o A Hora veiculou sobre o estacionamento rotativo de Lajeado nos últimos anos. Tornei a escrever sobre o assunto, outro par de vezes neste espaço. É tanta mudança que parece “o samba do crioulo doido”. Desde a concepção do projeto original, os remendos se multiplicam. O mais recente é o da extinção da cobrança dos R$ 20 pelo Aviso de Irregularidade, vigente desde ontem.

O vereador Ildo Salvi deu uma de prefeito – já que Caumo silenciou diante do assunto – e sancionou o projeto de sua autoria, que força a empresa a cessar a cobrança. Ocorre que, aguarda sobre a mesa dos vereadores, projeto do Executivo que, entre outras coisas, sugere a transformação dos R$ 20 do AI em crédito ao motorista. Ou seja, nova mudança.

Ao largo de julgamentos sobre o certo ou errado de ambas as propostas, deparamo-nos com a inconsistência flagrante do modelo. A atual gestão da Stacione Rotativo tem feito investimentos para melhorar o serviço. Adaptou até uma motocicleta com equipamentos tecnológicos para melhorar o controle do sistema.

Ainda assim, tudo parece insuficiente. Ao lado da “bateção de cabeça” dos “criadores das leis”, o usuário tem dificuldades de levar as coisas a sério. A prova são os mais de R$ 2 milhões de inadimplência amargados pela Stacione Rotativo. Um misto de oportunismo e ignorância também deve ser colocado na conta de motoristas, que preferem a crítica e a reclamação em vez de se adequar às normas.

O tempo passa e o assunto estacionamento rotativo de Lajeado continua motivo de controvérsia, polêmica e mudança. O remendão não para de crescer.


af3b6a54e9e9338abc54258e3406e485

É amanhã

Uma das discussões mais relevantes a respeito da principal matriz econômica da agricultura familiar da região ocorre amanhã, dia 13, no auditório do Tecnovates, na Univates. Painel a partir das 8h30min discorre sobre a nova crise que assola o setor leiteiro no estado e já fez dezenas de produtores abandonarem a atividade.

Soma de esforços de líderes e entidades regionais, reúne nove especialistas na área, tendo a participação de dois secretários estaduais: da Agricultura, Ernani Polo, e do Desenvolvimento Rural, Tarcísio Minetto. Presidentes de cooperativas, sindicatos, reitor da Univates e prefeitos completam a mesa de debate.

A organização do evento, aberto ao público, é do jornal A Hora, por meio do projeto Pensar o Vale, que mantém discussão permanente sobre os temas relevantes para o desenvolvimento do Vale do Taquari. Nos encontramos lá. Está passada a hora de termos uma política pública capaz de equilibrar e dar segurança à cadeia produtiva do leite.


Provando do próprio veneno

Aos poucos, o inquilino do Palácio do Jaburu vai sendo fritado. Prova do mesmo veneno conspiratório que o colocou na cadeira de presidente da República. Michel Temer perde forças a cada dia e sua derrocada parece apenas uma questão de tempo, talvez dias.

Pelo visto, vem aí, desde que mantido o rito constitucional, como deve ser, Rodrigo Maia. O presidente dos sonhos dele mesmo e, quem sabe, de alguns parentes. E só. Para o bem ou para o mal, é o homem na linha sucessória que ocupará, ao menos temporariamente, o cargo de Temer.

É lamentável, e não menos assustador, ver alguém com o nome já enlameado na Lava- Jato ser o natural sucessor de um presidente que cai por graves faltas éticas, morais e jurídicas.

Rodrigo Maia vem aí, e junto com ele a certeza de que o país continuará sangrando e padecendo de líderes capazes de nos devolver esperança em ter um governo legítimo, moral e ético. Ainda não será desta vez.


Em Brasília, pela BR-386

A presidente do Codevat, Cintia Agostini, e o coordenador de Projetos Especiais de Lajeado, Isidoro Fornari, participam da 5ª etapa de discussão e análise do projeto de concessão da BR-386. A reunião é amanhã no Ministério dos Transportes, em Brasília.

Cintia e Fornari foram informados, ainda ontem, que esse não será o último encontro para discutir a concessão. Logo, não haverá uma decisão final sobre o projeto.

Na pauta de amanhã estarão, entre outras coisas, o trecho de Sarandi, a transferência ao Daer de parte da rodovia entre Lajeado e Estrela, as obras solicitadas para os municípios e também os valores das tarifas.


Lixo em Estrela

O Ministério Público do Estado deve oferecer à Justiça, nos próximos dias ou semanas, denúncia sobre supostas irregularidades no contrato sobre o serviço de recolhimento de lixo na cidade. Por enquanto, o MP não informa detalhes.


Novo presídio no outro lado do rio

Começam a ganhar corpo as tratativas entre Judiciário e prefeitos de Estrela, Teutônia e cidades vizinhas para esboçar a construção de um novo presidio. O crescimento acelerado de Estrela e Teutônia, somado aos municípios próximos, amplia os índices de criminalidade.

Pelos números atuais, os presos dessas cidades já representam 40% do total de detentos de Lajeado. As negociações para construir uma casa prisional do outro lado do Taquari devem avançar nas próximas semanas.

Notícias relacionadas
Lajeado - Walter Schlabitz

Lajeado perde ícone folclórico

Ele era conhecido por andar de bicicleta levando um cachorrinho como caroneiro. Foi dono de um dos principais … Leia mais

Encantado - A diferença na cozinha

Lasanha para o Brasil

Vera da Silva, merendeira em escola municipal, está entre os destaques de concurso nacional

Grêmio - Libertadores

Noite de decisão

Grêmio recebe o Botafogo pela partida de volta das quartas de final