Versão Impressa

Jornal A Hora

Educação

Publicada em 03/10/2018

Eleições e cidadania

Aprender sobre como funciona o nosso país torna os jovens mais conscientes e ativos

Crédito: Victória Lieberknecht Estudantes da São João simulam eleições na escola em projeto sobre a política brasileira
Estudantes da São João simulam eleições na escola em projeto sobre a política brasileira

A turma do nono ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental São João, de Lajeado, finalizou na última sexta-feira, 28, um extenso trabalho que aproveitou a curiosidade dos alunos sobre o período das eleições para explanar sobre o significado e funcionamento da política no Brasil atual. Interligando as disciplinas de língua portuguesa e história, a turma se dividiu em cinco grupos criando partidos políticos fictícios a fim de entender como eles funcionam.

Anildo-Giacobbo---Professor-de-Hidtória

Com auxílio dos professores Edinéia Bruxel Ritt e Anildo Giacobbo, os estudantes pesquisaram sobre o papel de cada governante, dos ministérios, planos de governo e polarizações políticas. De acordo com Giacobbo, os alunos puderam entender de que maneira a política exerce poder sobre a sociedade e quais são as suas formas. “Fazendo uma análise da história, desde a origem da democracia até os dias de hoje, os alunos puderam refletir sobre os diferentes interesses de cada setor e classe social, bem como tirar as próprias conclusões a respeito da realidade brasileira”, conta.

Turma 02

Para trazer mais embasamento ao projeto, os cinco grupos simularam estar participando de eleições presidenciais. Os jovens elaboraram planos de governo abrangendo economia, saúde, educação e políticas sociais, entendendo suas estruturas básicas e embasando suas propostas em pesquisas quem foram discutidas ao longo de três debates eleitorais na escola.

Edinéia-Bruxel-Ritt---professora-de-Português

De acordo com Edinéia, os alunos tiveram que desenvolver na prática a capacidade de argumentação e oratória de cada um. “Em um debate de presidenciáveis os alunos precisam ter argumentos, coesão na fala e muito conhecimento adquirido. Foi uma experiência enriquecedora para todos eles, incluindo o oitavo ano que assistiu o último debate”, explica.

Candidatos da escola

Cinco alunos foram escolhidos pelos grupos para representarem os partidos, entre eles Ana Carolina Dienstmann Schneider, 14, que disputou a eleição da escola com o nome fictício Valentina. Ela considera importante as escolas trabalharem historicamente a consciência geral dos alunos sobre eleições. “Antes desse projeto, nós éramos leigos no assunto, agora aprendermos a pesquisar quem são e o que fizeram os nossos candidatos que disputam a presidência do Brasil”, elogia.

Para o colega Kleyton Leonardo Moraes, 14, conhecer a origem dos partidos e ideologias políticas ajuda o aluno a entender sua realidade e a procurar sozinho um candidato que mais se identifique. “A gente abre a cabeça e olha todos os lados antes de escolher um pelo qual lutar”, diz.

ALUNOS SÃO JOÃO LAJEADO

Já Diana Sinfronia, 15, o projeto ampliou os conhecimentos da turma e facilitou o entendimento da realidade brasileira. “Foi bacana porque inclusive podemos transferir conhecimento para a nossa família, que muitas vezes não teve acesso ao ensino”, reflete. O colega Kleber Eduardo Neiland, 15, conta que percebeu que parte da sociedade é formada por analfabetos políticos. “Se a gente não tem o mínimo de base histórica e de retórica não consegue identificar o candidato mais adequado”, afirma.

Notícias relacionadas
Educação

Alunos e professores protestam em defesa da educação

Manifestação no IEEEM, de Estrela, começou na tarde desta segunda-feira com iniciativa dos estudantes

Educação

Alunos protestam em defesa dos professores

Manifestação em Estrela reivindica a solução para parcelamento e atraso dos salários da rede estadual

Educação

Democratização do acesso ao cinema é tema da redação do Enem

Ministro da Educação divulgou o tema minutos após o início das provas em todo o Brasil