Versão Impressa

Jornal A Hora

Mecânica

Publicada em 31/07/2019

Tecnologia A serviço dos clientes

Revolução tecnológica chega às oficinas mecânicas

Novas tecnologias fazem com que as oficinas economizem em tempo e dinheiro
Novas tecnologias fazem com que as oficinas economizem em tempo e dinheiro

Os carros hoje em dia estão cada vez mais tecnológicos. Montadoras investem no desenvolvimento dos veículos para melhor atender às demandas do público, que está muito exigente. Isso faz com que outro setor também tenha que se especializar: o das mecânicas automotivas.

Novas tecnologias chegam às mecânicas com o intuito de melhor atender o cliente. Trabalhos que antes demoravam horas, hoje são feitos em cerca de minutos. Como o diagnóstico de problemas no veículo.

O equipamento de auto diagnose faz a leitura do carro. É por ali que se consegue identificar qual o problema no funcionamento do veículo. Esta tecnologia faz com que as oficinas economizem em tempo e dinheiro.

Existem instrumentos que identificam desde a carga de bateria até instrumentos para verificar vazamentos de água no circuito de arrefecimento. “Já vieram diagnósticos de outra oficina que estavam errados, e nosso equipamento ajudou a identificar o erro. O cliente não precisou gastar para resolver o problema, era uma coisa muito simples”, conta o administrador da Mecânica Montanha, Adriano Diedrich.

O scanner faz com que o mecânico encontre o real problema, sem recorrer ao tradicional “chute”. O aparelho indica através de mostradores e dá a comprovação para o cliente. “Ele não vai te dizer exatamente o que é, mas te dá um norte, diz qual região do carro que está com problema”, complementa Diedrich.

Como funciona

A Mecânica Montanha possui dois equipamentos, um para carros nacionais e outro para os importados. Eles ajudam a procurar problemas em todos os sistemas do carro. Normalmente a maior busca é por problemas eletrônicos. Ele faz uma varredura no veículo e passa a lista de falhas encontradas. Um erro pode ter vários defeitos correlacionados.

O scanner faz com que o mecânico encontre o real problema, sem recorrer ao tradicional “chute”
O scanner faz com que o mecânico encontre o real problema, sem recorrer ao tradicional “chute”

Qualificação necessária

As montadoras investem em tecnologias nos veículos. As oficinas mecânicas investem em aparelhos para melhor atender a demanda dos clientes na hora de arrumar o seu carro. Mas nada disso é possível se o mecânico não estiver preparado. Com isso, os funcionários precisam se qualificar para fazer as interpretações do que os equipamentos mostram. “Não adianta eu ter um scanner legal se não tiver um funcionário capacitado no uso da forma adequada. Por isso o material humano também precisa passar por especializações”, diz o administrador.

Ele conta que o cliente está cada vez mais exigente. Não quer gastar muito e não pode mais ficar dias sem o seu veículo. O trabalho precisa ser rápido para não perder tempo, e consequentemente, dinheiro.

Tempo é dinheiro

Como o aparelho consegue identificar os problemas mais facilmente, a entrega dos veículos passa a ser mais rápida. A mecânica conserta o carro e programa o tempo de entrega para o cliente. “Dificilmente ficamos mais de dois dias com o carro”, enfatiza Adriano.

Isso faz com que o trabalho seja mais barato. Como as oficinas normalmente recebem por hora de trabalho, e o equipamento de diagnose deixa o serviço mais rápido, tudo resulta em uma economia de custo para o cliente.

Software de gerenciamento

Outra grande mudança resultada do uso de tecnologia é o gerenciamento de serviços. Se antes era necessário ter um fichário com anotações referentes às manutenções dos carros, hoje tudo é feito por meio de um software. “O cliente chega dizendo que fez alguma manutenção conosco mas não lembra quando. Através do software nós conseguimos ver quando, o que e como esse cliente foi atendido”, diz Diedrich.

O administrador usa de exemplo a troca de óleo. Ela deve ser feita dentro do limite de quilometragem do veículo, ou no máximo em seis meses. “Se neste tempo o cliente não voltou à oficina, nós mandamos uma mensagem para ele dizendo que está na hora da troca. Isso aproxima o cliente, que pega feição pela mecânica.”

A manutenção preventiva barateia o custo. Coisas simples e baratas, se não forem feitas preventivamente, podem se tornar um problema. “Não é só conforto, é principalmente segurança. E a segurança é o mais importante em um carro. Não adiante ter o carro mais confortável do mundo se ele não for seguro”, finaliza.

A Mecânica Montanha

Ex-gerente de oficina em uma concessionária, Ilson Koester decidiu abrir a sua própria oficina 25 anos atrás. Começou trabalhando sozinho. Aos poucos agregou funcionários e equipamentos, até chegar ao que é hoje. A oficina é composta por quatro mecânicos, um atendente de oficina, três responsáveis pelo escritório e o gerente. Com 25 anos de experiência, é uma das referências em mecânica automotiva na cidade.

Notícias relacionadas
Estado

Valor do IPVA 2020 já pode ser consultado

O pagamento do próximo ano não terá o valor do Seguro Danos Pessoais por Veículos Automotores Terrestres (… Leia mais

Lajeado

Quatro vereadores de Lajeado prometem abrir mão do 13º salário

Onze dos 15 parlamentares assinaram requerimento que será entregue à Contadoria, solicitando depósito do … Leia mais

Univates

Confira a lista de aprovados no vestibular da Univates

Prova com redação e questões objetivas foi aplicada no domingo, dia 8