Versão Impressa

Jornal A Hora

Vale do Taquari

Publicada em 08/11/2016

Enem exige estudo além da sala de aula

Prova teve 30% de abstenção. Resultados serão divulgados no dia 19 de janeiro

Crédito: Anderson Lopes Danilo Santin quer uma vaga em Medicina, e está confiante. Cursinho lhe ajudou a enfrentar melhor a prova
Danilo Santin quer uma vaga em Medicina, e está confiante. Cursinho lhe ajudou a enfrentar melhor a prova

O fim de semana de sol na região foi de provação para cerca de cinco mil pessoas. Elas participaram do Enem, realizado por 5,8 milhões de estudantes, em todo o país. No sábado, tiveram 4 horas e meia para resolver 90 questões, sendo metade de ciências da natureza e o restante de ciências humanas. No domingo, o período de prova foi prolongado por mais uma hora, pois, além das questões objetivas de linguagens e matemática, os candidatos deveriam escrever a redação.

O exame exigiu concentração dos estudantes antes e durante a prova. Isso porque a amplitude de assuntos abordados com certeza não poderia ser apreendida somente na sala de aula, mas nas vivências de mundo. Conexões lógicas, dos diferentes assuntos, também foram um desafio.

Danilo Santin, 18, contou suas expectativas sobre a prova na edição de sábado do A Hora. Ele estava ansioso. Passado o momento de tensão, está confiante para conquistar a vaga de Medicina Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. Essa foi a quarta vez que o estudante fez o teste, e a primeira após passar por um curso pré-vestibular. “Estava difícil. Cobrou mais conteúdo do que normalmente. Mas o curso me deu base material para tudo que caiu.”

Ex-aluno de escola pública, admite que se saiu mal das outras vezes. Até então, não se sentia preparado. “É uma enorme diferença. O currículo da escola pública não prevê muitas coisas que são avaliadas na prova. Algumas até são vistas, mas muito rapidamente”, analisa.

O professor de linguagens Leandro Sberzesengik concorda. “Nosso colégio ainda não bate com essa prova. É uma escola tradicional, segmentada, trabalha muito a decoreba. Enquanto a prova mistura várias áreas, é de dedução.”

Redação

Para ele, o Enem exige destreza. Em relação à redação, Sberzesengik acredita que seguiu o padrão dos últimos anos, abordando temas sociais. Além disso, exigiu que, além de opiniões vagas, o candidato defendesse uma argumentação consistente.

Com no mínimo 30 linhas, o texto deveria tratar sobre os Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil. O que, para o professor, poderia ser mal interpretado. “Era preciso atenção ao que se pedia. Acredito que muitos tenham tratado sobre outros assuntos.”

Provas ocorreram em 11 escolas da região. Castelo Branco foi uma das principais
Provas ocorreram em 11 escolas da região. Castelo Branco foi uma das principais
Crédito: Filipe Faleiro/Arquivo A Hora

Intolerância religiosa

O professor universitário e sociólogo Daniel Granada considera que tratar de intolerância religiosa, na atualidade, tem extrema relevância. Os quadros de extremismo no Oriente Médio, de forma mais amena, são encontrados no Brasil. “Há correntes religiosas, que lutam contra outras práticas, o que traz problemas culturais. É preciso que todos aprendam a respeitar as diferenças, e que todos tenham liberdade para exprimir suas crenças. Por isso, é muito importante problematizar.”

Vazamento

O tema abordado foi o mesmo que constava em uma prova falsa, que circulou pelas redes sociais no ano passado. Para o Inep, a situação foi coincidência. O órgão negou vazamento.

Abstenções e fraudes

Neste ano, houve 30% de abstenção. De 8,6 milhões de inscritos, 271 mil tiveram as provas adiadas para os dias 3 e 4 de dezembro, devido à ocupação das escolas. Nos dois dias de prova, 768 candidatos foram eliminados do exame. Uma operação da Polícia Federal prendeu 11 pessoas por fraude. Elas estavam com escutas nos locais de prova.

ENEM

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) existe desde 1998, para avaliar o desempenho do estudante ao fim da educação básica. Desde 2009, serve como ferramenta de seleção para o ingresso no Ensino Superior. No último ano, 128 instituições públicas utilizaram a nota do exame como critério de seleção. O Enem também é utilizado para o acesso a programas oferecidos pelo governo federal, tais como o ProUni. O gabarito das provas objetivas deve ser disponibilizado até amanhã, no site do Inep. Já a nota de cada candidato será divulgada somente no dia 19 de janeiro.

Notícias relacionadas
Solidariedade

Ação entre amigos pretende arrecadar R$ 10 mil para Lívia Teles

O grupo “Torcedoras Coloradas de Encantado” inicia a venda dos blocos na próxima semana no valor de R$ 10… Leia mais

Cidades

Arte de grafite avança na Univates

Artista Eduardo Kobra iniciou pintura de painel que deve ser concluído até o próximo fim de semana

Cidades

Governo e polícia procuram nova sede à Delegacia da Mulher

Falta de espaço físico, acessibilidade e sigilo motivam projeto de mudança do órgão policial para outro … Leia mais