Versão Impressa

Jornal A Hora

Opinião

Gabriel Carneiro Costa Gabriel Carneiro CostaEscritor e palestrante

Publicada em 10/08/2019

Do julgamento à empatia

Primeiro começamos julgando. Depois aprendemos a escutar e, na sequência, mantemos o hábito de julgar. Depois começamos a amadurecer e perceber que os julgamentos afastam as relações afetivas e começamos querer saber menos da vida dos outros.

Mas chega o dia em que a vida nos faz passar justamente por aquilo que um dia julgamos nos outros. Neste momento, saímos da esfera de pensamentos e entramos na esfera das experiências.

Experimentamos a dor, a angústia, a raiva, a tristeza, o medo. Percebemos que somos humanos e assim como os outros, podemos errar, nos arrepender, chorar, paralisar, reivindicar, provocar…

Depois de tantos anos atendendo pessoas, percebi que os dilemas contemporâneos são muito parecidos, e que o julgamento é apenas um processo imaturo de avaliação dos outros.

A verdade é que chega um momento que precisamos também parar de se preocupar com o que as pessoas possam estar pensando. Lógico que é necessário um certo cuidado e respeito social para cumprir minhas responsabilidades morais e criar uma imagem pessoal que nos satisfaçam. Mas podemos nos poupar de tantas explicações.

foto para coluna carneiro
Crédito: divulgação

Os nossos amigos não precisam de tantas explicações.

Os nossos inimigos jamais acreditarão nelas.

E os julgadores jamais as entenderão.

Ficar preso no ato de julgar os outros, ou no medo de ser julgado é apenas sobreviver, perdendo assim a linda oportunidade de viver.

Lá na frente, as pessoas que julgamos terão seguido suas vidas independente daquilo que um dia pensamos delas.

Lá na frente, a nossa vida terá andado independente do que alguém um dia possa ter nos julgado.

No fundo, não são os julgadores que estarão felizes ou tristes, orgulhosos ou envergonhados, vencedores ou perdedores, e sim os próprios autores das jornadas da vida.

Viver mais leve é viver a própria vida. Cuidar da própria caminhada. É refletir o passado sem culpa , aproveitar o presente e pensar em sermos melhores no futuro.

Notícias relacionadas
Polícia

Individuo é preso em flagrante tráfico de drogas em Estrela

O suspeito também cultivava plantas de maconha em casa e produzia a droga para venda

Lajeado

Sentença de Kayser é confirmada de forma parcial pelo TJ-RS no caso das multas

Tribunal confirma a sentença da 1ª Vara Criminal da Comarca de Lajeado, mas afasta a perda de cargo, funçã… Leia mais

Previsão do tempo

Confira como fica o tempo nesta quinta-feira

Áreas de instabilidade de afastam do estado e ocasionam o retorno do sol ao Vale