Variedades

Governo e polícia procuram nova sede à Delegacia da Mulher

Falta de espaço físico, acessibilidade e sigilo motivam projeto de mudança do órgão policial para outro prédio

Por

Governo e polícia procuram nova sede à Delegacia da Mulher
Pensar O Vale

Após quase uma década instalada na rua João Batista de Mello, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Lajeado vai se mudar. A administração municipal irá alugar um novo espaço para sediar as atividades do órgão policial.

Problemas como a falta de espaço físico motivam a mudança. Na Delegacia da Mulher trabalham três policiais lotados e duas estagiárias. “Mesmo se o estado colocasse mais policiais, não teríamos como acomodar o profissional”, lamenta a delegada Márcia Bernini.

Conforme ela, boletins de ocorrência são feitos apenas na delegacia de plantão devido à falta de um local para espera no Deam. “Se há mais de três mulheres buscando atendimento não temos local para elas ficarem aguardando”, ressalta

O fato da Delegacia da Mulher dividir o prédio com o Instituto Geral de Perícias dificulta ainda mais o sigilo das mulheres. Márcia conta situações onde vítimas de violência acabam dividindo espaço até com acusados de delitos.
Outro problema é a acessibilidade, indicada até pelo Ministério Público (MP) de Lajeado. A Delegacia da Mulher fica no segundo andar e o acesso é possível apenas pelas escadas. “Tivemos o caso de uma mulher com a perna quebrada. O atendimento foi feito em uma sala do primeiro andar”, exemplifica.

Para Márcia, a nova localização pode dar visibilidade ao órgão policial e fazer com que mais mulheres busquem o atendimento pós-crimes. “Estamos escondidos hoje e há mulheres que nem sabem da existência da delegacia” percebe.

Em 2019, a Deam recebeu 1.091 boletins de ocorrência. Desses, quase 700 procedimentos foram instaurados.

Fortalecer a polícia

As dificuldades da Delegacia da Mulher foram levadas ao governo municipal e motivaram reunião na semana passada. Secretário de Segurança Pública, Paulo Locatelli confirma que o governo irá custear o aluguel no novo prédio. Resta apenas a definição do espaço que deverá ser feita nas próximas semanas.

Locatelli reforça a necessidade de um ambiente privativo que garanta a discrição das vítimas. “Queremos uma delegacia em um local que satisfaça os anseios dos policiais e das mulheres que precisam do atendimento”, reforça.
Para Locatelli, melhorar a estrutura física é uma forma do governo fortalecer os órgãos policiais e garantir mais eficiência nas ações de combate à violência e criminalidade. As ações estão vinculadas ao Pacto Lajeado pela Paz.

bravo