Edição 08/04/2020 Edição impressa

Terça-Feira08 de Abril, 2020

Travessia Torres-Tramandaí

Atletas do Vale desafiam as areias do litoral norte

Prova é uma das mais tradicionais e difíceis do ano. São 82 quilômetros, que partem de Torres até Barra do Imbé

Por

Atletas do Vale desafiam as areias do litoral norte
Eleições 2020

Todo o ano, milhares de competidores desafiam as areais do litoral norte na Travessia Torres-Tramandaí. São 82 quilômetros, que partem da praia de Torres e vão até a Barra do Imbé, em uma prova única, considerada das mais difíceis do ano.

Os atletas podem competir nas modalidades solo, duplas, quartetos e octetos. Serão quatro largadas, que iniciam às 6h na modalidade solo, e terminam às 7h30min com os octetos. A corrida terá a duração máxima de 12 horas.

O treinador e coordenador de corridas da equipe Galgos, Claiton Lenz, 40, irá participar da travessia pela nona vez. Este ano irá correr em quarteto, mas já participou em duplas, octetos e solo em outras edições. Hoje, a expectativa é maior como treinador. “Espero que todas equipes consigam atingir seus objetivos. Para alguns correr com os amigos e se divertir, e para outros competir em busca de resultados.

O lajeadense terá diversos alunos competindo na prova. São sete quartetos, um octeto, uma dupla e um atleta solo. Para ele, o maior diferencial da competição é a longa distância, de 82 quilômetros. “Ela permite que as pessoas se desafiem de acordo com suas capacidades, seja solo, dupla, quarteto ou octeto.”

Prova exige estratégia

O lajeadense Tiago Muniz de Souza, 30, participará pela segunda vez da TTT. Decidiu participar na modalidade quarteto misto, pois assim cada um do grupo consegue se sobressair, dando o seu melhor em cada trecho de acordo com suas particularidades. “Também é bom correr com amigos uma prova tão tradicional e com nível alto de dificuldade”, comenta.

Souza considera a prova diferente das demais de rua. São muitos critérios de dificuldade a serem observados, como o terreno em si e o fato de a areia ser mais pesada. “Você tem que optar por correr mais perto da água, onde é mais firme, para não te prejudicar afundando o pé na areia.”

Outros fatores de dificuldade na prova são o vento e o calor, com o sol estando presente todo o tempo. “O atleta precisa se preocupar muito em manter-se bem hidratado para não perder rendimento”, salienta.

No caso da TTT, no formato quarteto, a organização para chegada nos pontos de troca tem que ser bem montada, pois o próximo atleta só pode iniciar com a passagem da pulseira que é única para toda a equipe. Caso o atleta do trecho 1 chegar ao posto 2 e o próximo atleta, por motivos de trânsito ou qualquer outro motivo, não estiver ali, terá que ficar aguardando. “A prova exige muita estratégia.”

Acontece de tudo”

O lajeadense Leandro Fernandes, 40, participará da travessia pela terceira vez. Já correu em quarteto e também já foi apoio para o atleta Jefferson Martinez quando ele terminou na quarta colocação geral na categoria solo.

Para esta edição, quer aproveitar e se divertir durante a prova. “Não pude completar o fluxo de treino que a prova exige, então bater meu recorde pessoal ou chegar ao pódio fica praticamente descartado”, considera o corredor.

A Travessia Torres Torres Tramandaí é uma prova única. Para Fernandes, o prazer está em percorrer a orla do nosso litoral, horas em praias desertas e por outras totalmente estressantes, como é o caso do trecho de Capão da Canoa. “Eu diria que a TTT é quase uma gincana. Chega a ser divertido, você leva bolada, tem que desviar de crianças, correr dos cachorros, acontece de tudo.”

Candidato a título nas duplas

Natural de Teutônia, Guilherme Stapenhorst, 33, competirá em duplas. Ao longo do trajeto de 82 quilômetros, existem seis pontos de trocas. São oito trechos na prova, que possuem distâncias diferentes. “Eu faço o primeiro trecho de 12km e meu parceiro de dupla faz os 10km seguinte, e assim segue”, comenta.

Os dois optaram em fazer a dupla pois em 2019 foram campeões nos quartetos mistos, então para essa edição procuraram um novo desafio. Usaram a Summer 48k, outra prova corrida na praia, como preparação, e se consagraram campeões. Então, a expectativa é a melhor possível, e o objetivo é vencer a prova.

bravo