desmistificando

Túnel misterioso na prefeitura é duto de ventilação, diz arquiteto

Divulgação da existência de um túnel que poderia ter sido construído como rota de fuga movimenta a cidade. Para técnicos da prefeitura, trata-se de duto para ventilação

Por

Atualizado terça-feira,
04 de Fevereiro de 2020 às 16:56

Túnel misterioso na prefeitura é duto de ventilação, diz arquiteto
Estrela
Pensar O Vale

Para muitos, um caminho até então desconhecido e repleto de mistérios. Para outros, mera trivialidade comum a construções antigas. Uma reforma em uma das salas da Secretaria da Fazenda de Estrela trouxe à tona uma parte pouco explorada da história do município.

Durante a troca de um assoalho, operários encontraram um alçapão e uma passagem subterrânea.

O atual prédio da prefeitura é de 1954. Não se sabe ao certo de quando data o espaço oco sob o piso ou para que finalidade ele foi construído. Entre as hipóteses levantadas, a de que pode ter sido um esconderijo ou rota de fuga.

O “túnel misterioso” pegou de surpresa até mesmo o prefeito Rafael Mallmann. “Nem sonhava com isso. Para todos, foi novidade”, avaliou.
Outro fato curioso é que a saída do túnel fica na lateral do prédio, no estacionamento. O buraco fica exatamente na vaga onde estava estacionado o carro do prefeito.

Rebuliço na prefeitura

A descoberta da passagem movimentou a prefeitura de Estrela ao longo da segunda-feira. Na entrada do prédio, a recepcionista havia perdido as contas de quantos profissionais da imprensa haviam passado pelo local. “4, 5, 6, nem sei mais”, disse, sem demonstrar muito ânimo.
O assunto movimentou as salas da Secretaria da Fazenda e tomou boa parte do dia da assessoria de imprensa do município.

No local onde ocorre a reforma, um dos trabalhadores assistia à movimentação com entusiasmo zero.

A descoberta

O túnel foi localizado por servidores do setor de Obras da prefeitura, por volta de 8h30.

“Quando tirei as primeiras tábuas, vi a saída. A princípio, é a ventilação. Antigamente se fazia assoalho, hoje se faz piso. Então, se deixava ventilação de uma peça para outra”, relata Erni Eidelwein. Ele afirma já ter visto túneis semelhantes em casas antigas onde trabalhou.

A reforma consiste na troca do assoalho, que continha partes podres e comidas por cupim. Sobre o alçapão, que tem cerca de 1,5 m, funciona o setor contábil da Secretaria da Fazenda.

No porão, estão centenas de exemplares de jornais, boa parte de 1983, ainda amarrados em fardos. Zero Hora, Informativo, Nova Geração e até a extinta Folha da Tarde, que revelou, entre outros, o jornalista Caco Barcellos.

Há ainda dezenas de exemplares do livro “Desmistificando”, lançado em 1984 pelo então senador Pedro Simon e enviado pelo Senado Federal. Equipamentos antigos, como relógios de ponto, completam a “decoração”.

Ao fundo, o túnel. Trata-se de um buraco de cerca de 70 cm X 75 cm e aproximadamente 5 m de comprimento. Do outro lado, a saída é ainda mais apertada.

Descoberta histórica

Pesquisador do memorial da ONG Aepan, Airton Engster dos Santos foi até o local, fez vídeos e publicou em seu perfil no Facebook. A publicação despertou a curiosidade de muita gente.

“Alguns historiadores se perguntavam sobre a existência deste túnel, mas nunca tinham um documento que confirmasse a existência”, diz.
Para Engster, trata-se de uma importante descoberta do ponto de vista histórico. Ele acredita que a finalidade da passagem era uma espécie de esconderijo ou rota de fuga para autoridades. “Era para emergência, para se esconder ou para ser usado em caso de fuga.”

Entre os objetos encontrados estavam uma lanterna a querosene, um painel de comando elétrico e um pedal de uma máquina antiga. Os itens foram levados por Engster para o memorial da Aepan, localizada no prédio da Polar.

Arquiteto minimiza mistério

Assim que a descoberta foi a público, a repercussão foi imediata. Entre as hipóteses levantadas é a de que o canal servisse para eventual esconderijo ou rota de fuga para as autoridades municipais em caso de situações extremas como guerras ou ataques à sede do Executivo.

Um prefeito em fuga por um caminho subterrâneo é uma cena que instiga a criatividade de qualquer um. No entanto, as informações apuradas pela reportagem apontam para uma explicação bem menos rica, em termos imagéticos.

De acordo com o arquiteto e urbanista Frederico Birkholz, que atua na prefeitura, este tipo de vão é comum em construções antigas.

“Não posso garantir 100% se é ou não é, mas pelo que se pode ver, aquilo ali é um porão para guardar materiais, como quase todas edificações antigas têm. E tem essa questão de ventilação, para não ficar umidade“, diz.

Sob o prédio da prefeitura, há diversos outros vãos semelhantes. Por eles passam fios de internet, telefonia e outros. Servidores das áreas de TI e telefonia afirmam ter inclusive entrado nestes espaços para fazer instalações.

Ao redor da construção, na parte externa, é possível perceber em vários pontos, pequenos buracos que seriam de túneis de ventilação semelhantes.

Nenhuma novidade para servidor aposentado

José Itamar Horn, o Biti, trabalhou na prefeitura de 1974 até 2008. Ao longo deste período, lembra de ter exercido as mais diversas tarefas. “Fiz até instalação d’água no forro da prefeitura. Lavava o auto do prefeito. Naquele tempo era assim.”

Para ele, não há nada novo na descoberta da manhã de ontem.

“Eu já tinha conhecimento deste túnel nos anos 70, quando eu entrei na prefeitura. Inclusive se guardava ali jornais velhos, objetos que não iam para o arquivo e que não tinha muita utilidade.”

Ele chegou a trabalhar na sala onde foi encontrado o alçapão e não acredita que se trate de algo secreto ou que fosse pensado para escapes.
“Acredito que nenhum prefeito tenha pensado em usar aquilo lá. Já vi prefeito entrando e saindo à meia noite, mas pela porta da frente.”

 

bravo