Edição 08/04/2020 Edição impressa

Terça-Feira08 de Abril, 2020

Impasse pelo nome

Antes de projeto, Parque da Orla tem disputa pelo nome

Dois vereadores apresentaram projetos sugerindo nomes para o espaço. Conselho de Cultura sugere concurso público

Por

Antes de projeto, Parque da Orla tem disputa pelo nome
Projeto em elaboração prevê construção de área de lazer de três hectares na orla do Rio Taquari
Lajeado

Diz o dito popular que quando o filho é bonito, todo mundo quer ser pai. O Parque da Orla do Rio Taquari ainda não tem projeto pronto. No entanto, muito antes do nascimento da criança, já há disputa para ver quem será o padrinho. A escolha do nome do parque é objeto de um embate na câmara de vereadores.

Em janeiro, o vereador Sérgio Kniphoff (PT) apresentou um projeto e que sugere que o local seja batizado de Parque Dr. Ney Santos Arruda, em homenagem ao advogado, professor e político, falecido em 2017. Seria uma homenagem a uma personalidade relevante da história recente da cidade.

Já Ildo Salvi (Rede) propôs chamar de Parque Antônio Fialho de Vargas toda a área da bacia do Arroio do Engenho, da rua Saldanha Marinho até o Rio Taquari. Uma referência a uma figura dos primórdios da história lajeadense. A iniciativa partiu do Comitê Gestor do Centro Histórico de Lajeado e do historiador e professor José Alfredo Schierholt.

“Até hoje, Antônio Fialho de Vargas nunca foi homenageado com nome de rua, avenida, o que quer que fosse”, sustenta Schierholt. De acordo com o historiador, a rua Fialho de Vargas, no Centro, foi homenagem a Joaquim Fialho de Vargas, filho de Antônio.

Conselho sugere escolha por concurso

Em meio ao debate, surge uma terceira via. O Conselho Municipal de Cultura propõe que o nome seja escolhido por meio de um concurso cultural.

A presidente do conselho, Ana Cecília Togni, defende que a decisão seja tomada “de baixo para cima e não de cima para baixo.”

“Quem que vai usar o parque é a comunidade de Lajeado. Então a grande importância é envolver a comunidade nessa decisão”, argumenta.

Governo projeta edital para este mês

O futuro parque da Orla está previsto para uma área de três hectares, que inclui ainda a continuação da rua Décio Martins Costa. O projeto prevê estacionamento, pistas de caminhada, brinquedos, um calçadão para eventos públicos e bancos.

“A ideia não é fazer uma parque de esportes. É um parque para contemplação, para as pessoas poderem sentar, levar famílias. Vai ter muita grama e bancos”, afirma o secretário do Planejamento, Rafael Zanatta.

De acordo com o secretário, o projeto está quase pronto e ainda precisa receber confirmação do prefeito. Zanatta projeta para este mês a abertura da licitação e o início das obras para abril.

bravo