Sem desfiles

Taquari frustra foliões e cancela carnaval

Decisão foi tomada após reunião entre governo municipal e representantes de entidades carnavalescas. Recurso será destinado ao Hospital de Caridade São José.

Por

Atualizado quarta-feira,
19 de Fevereiro de 2020 às 14:27

Taquari frustra foliões e cancela carnaval
Escolas receberiam R$ 6 mil cada, mas consideraram o valor insuficiente
Vale do Taquari

O tradicional desfile das sociedades carnavalescas de Taquari, marcado para ocorrer nos dias 22, 23 e 24 de fevereiro foi cancelado. A decisão foi tomada após reunião do prefeito Emanuel Hassen (Maneco) com representantes das entidades.

No entanto, a concentração com blocos de rua está mantida, para isso, a administração municipal proporcionará banheiros químicos e carro de som.

Enquanto a prefeitura oferecia o mesmo valor do ano passado, cerca de R$ 6 mil para cada escola, as associações dizem que o valor é insuficiente. Conforme o prefeito, o Carnaval custa cerca de R$ 200 mil aos cofres públicos, entre gastos com montagem do palco, colocação de grades, sonorização e toda estrutura necessária na Avenida 7 de Setembro.

Hassen afirma que o recurso irá para uma série de reformas e novos equipamentos para o Hospital de Caridade São José. O total de investimento na unidade de saúde será de R$ 5 milhões.

Para as escolas, valor era insuficiente
Maria Neci, vice-presidente da Sociedade Carnavalesca Irmãos da Opa, declara que os R$ 6 mil oferecidos pelo Executivo não seriam suficientes para realizar os desfiles. “Mesmo com a sede e fazendo promoções, não tem como, o gasto é bem grande, a maioria das fantasias a escola tem que bancar”.

Maria sustenta que o valor necessário para fazer as fantasias, o custo com carros alegóricos, samba enredo, som e gravação de vídeo gira em torno de R$ 25 mil a R$ 30 mil. “São poucos voluntários que se dedicam de coração. A gente fica triste, gostaríamos que tivesse o carnaval”.
Para ela, os desfiles aproximam a comunidade. “Taquari tem poucos eventos, é muito bacana, diversas comunidades vêm assistir”.

Durante o ano, Irmãos da Opa empresta a sede para escolas de ensino fazerem formaturas e outros eventos. Também para ações da comunidade como por exemplo uma escolinha de esporte que faz reuniões. “Esse ano estamos formando uma turma de crianças e jovens para aprenderem a tocar instrumentos”, conta Maria.

Entramos em contato também com a Sociedade Carnavalesca Batutas da Orgia, mas não tivemos retorno até o fechamento da edição.

bravo