opinião

Thiago Maurique

Thiago Maurique

Jornalista

Coluna publicada no caderno Negócios em Pauta.

O Vale, o dólar e a indústria

Por

Vale do Taquari

Em tempos de dólar alto, a exportação de produtos industrializados se potencializa. Região rica em indústrias, o Vale do Taquari colhe benefícios das vendas para o exterior. A participação das empresas da região – Divine, Docile, Florestal e Neugebauer – nas principais feiras mundiais do setor de doces e alimentos evidencia esse potencial regional.

Como já comentei em outras colunas, somos privilegiados pela força da nossa indústria. Infelizmente, essa é uma realidade muito distante da existente em outras regiões do Estado e país. A matriz produtiva brasileira está baseada na exportação de commodities e importação de maquinário e produtos industrializados.

Nesse cenário, dólar alto representa piores condições de vida para a população e menos dinheiro circulando na economia local. Acho engraçado que os mesmos economistas que vociferavam contra o valor da moeda americana em anos anteriores agora façam malabarismo para dizer que está bom assim. Não está e isso não tem nada a ver com o dinheiro gasto com turismo no exterior.

A fala do ministro Paulo Guedes não é apenas lamentável pelo preconceito de classe, expresso em relação às empregadas domésticas por alguém que passa férias em Miami. É pior por mostrar que o governo não pretende fazer nada para fortalecer a nossa moeda em relação à americana.

Temos a sorte de viver em uma região que consegue enviar seus produtos para o mundo, gerando riqueza para a economia local. Se a indústria nacional fosse suficiente para suprir as necessidades da sua população, eu seria o primeiro a defender a alta do dólar. Mas estamos muito longe disso.

 

Em tempo

A notícia da aquisição da rádio Sorriso por parte do grupo A Hora gerou grande repercussão. Mais do que apenas um negócio, é uma ação que eleva não apenas o patamar da empresa, mas também do jornalismo regional.

O A Hora apostou no jornalismo profissional, criterioso e isento como sua principal característica desde a sua criação. A qualidade da equipe de redação é notória e reconhecida por premiações significativas. Esta mesma qualidade será empregada nas ondas da 102.9. Ganhamos todos.

Boa leitura!


 

Oportunidades na América Latina

A Interact, em parceria com o Tecnovates, promoveu palestra com o professor Rafael Estrada Hora, da Universidade ESAN, de Lima (Peru). Hora falou sobre as oportunidades da área de tecnologia nos países da América Latina e apresentou cases onde a criação de ambientes de inovação resultaram em sucesso, mesmo em empresas de setores mais tradicionais.

Além da docência, o palestrante também atua no setor privado. É gerente de Sistemas de Informação, Telecomunicações e Controle de Processos da Companhia Mineradora Antamina – uma das mais importantes do mercado global. Segundo Hora, mesmo em um negócio tradicional, a inovação não só é possível como necessária.

A fórmula usada na Altamina para inovar sem perder os fundamentos do negócio é dividir as ações em dois pilares. Um deles é o tradicional, com ações mais cautelosas e pouco espaço para erros. O segundo pilar é o disruptivo, que funciona como uma startup, com ideias mais arriscadas, portanto maior propensão ao erro. A união entre essas duas vertentes traz grandes resultados.

O palestrante também chamou atenção para o potencial da América Latina nos negócios de inovação. Lembra que o continente tem mais de 400 milhões de habitantes e é um mercado consumidor emergente, em que pese as constantes crises econômicas nos mais diversos países.

A Interact já percebeu esse potencial, tendo iniciado a sua internacionalização nos países latino-americanos. A maior parte das empresas de tecnologia apontam primeiro para a Europa e a América do Norte, mercados já consolidados, portanto de mais difícil ingresso. Isso sem falar na logística, pois é muito mais caro prospectar clientes do outro lado do oceano.


 

Marcante e atual

“Precisamos ler, de literatura a jornais e revistas, além de acompanhar o noticiário. Pertencemos a um mundo global. Tem certas situações que não estão nas mãos dos empresários, seja na esfera política, econômica ou governamental. É preciso ter muita leitura para prever o que pode acontecer.”

Nicanor Constantin, Diretor da Obra Materiais de construção em entrevista para o Negócios em Pauta de novembro de 2019.

Agea apresenta novo site

Uma das agência de publicidade mais tradicionais da região, a Agea lançou novo website. A empresa comandada por Gilberto Soares tem mais de 25 anos de atuação no mercado e é especializada em projetos de marketing, campanhas de publicidade (mídia impressa, tevês, rádios, web), desenvolvimento de marcas, programações visuais e embalagens.

O novo site apresenta detalhes sobre a atuação da empresa e portfólio completo com trabalho realizado para clientes de diferentes setores. Também há um blog, onde Soares faz reflexões sobre a sociedade e seus símbolos. Vale conferir. O endereço é www.agea.com.br

bravo