opinião

Amanda Cantú

Amanda Cantú

Jornalista

Colunista do caderno Você

Minha fantasia não é um convite

Por

Vale do Taquari
Pensar O Vale

Fevereiro de 2020. A maior festa popular do país se aproxima e, infelizmente, ainda precisamos falar sobre assédio no carnaval. Todos os dias, milhares de mulheres são assediadas nas ruas, no ônibus, no trabalho e, muitas vezes, até dentro da própria casa. Porém, durante o carnaval, esta triste realidade se intensifica.

Muitos têm a impressão de que o período permite mais liberdade de acesso ao corpo da mulher, seja pelo uso das fantasias, ou pelo clima descontraído da festa. E o que deveria ser um momento de alegria para todos acaba se transformando em incômodo e violência para muitas mulheres.

A prova é que, durante o carnaval, as queixas de violência sexual costumam aumentar 20%, segundo os dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH), obtidos por meio do Disque 100 (Disque Direitos Humanos) e do Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher).

Em função de informações como esta, e em meio a tantos casos que apagam completamente o colorido da data, que coletivos como o Não é Não! surgem com a missão conscientizar sobre o tema. Muito mais do que as mulheres entenderem que têm o direito de dizer não, e que isso precisa ser respeitado, é fundamental fazer entender que nada dá acesso ao corpo do outro sem permissão. Não importa o que o que a pessoa está vestindo ou fazendo. Não é não! E tudo depois do não é assédio.

Desde 2018, a importunação sexual, que se configura toda vez que alguém praticar algum ato libidinoso na presença de outra pessoa de forma não consensual, tendo ou não contato físico, é considerada crime punível com prisão.

Então mulher, denuncie. Lembre-se que você não é culpada. Você tem o direito de se divertir e assédio vem de uma cultura machista e patriarcal que precisa ser desconstruída. Em situações complicadas, peça a ajuda de outra mulher, e se vir uma mulher passando por dificuldade, ajude-a. Tire ela do ambiente e traga-a para o seu grupo. Ninguém solta a mão de ninguém no carnaval também.

Lembrete importante para todo mundo: etnia e religião não são fantasias. Homem vestido de mulher também não. Carnaval fica ainda melhor com respeito!

bravo