FIM DE UMA ERA

Última videolocadora encerra atividades em uma semana

Calypso fecha as portas no próximo sábado. Procura de clientes e curiosos aumenta, e o clima é de nostalgia no estabelecimento

Por

Atualizado domingo,
23 de Fevereiro de 2020 às 12:26

Última videolocadora encerra atividades em uma semana
Segundo Souza, quase 3 mil DVDs foram vendidos desde janeiro
Lajeado
Pensar O Vale

Última videolocadora de Lajeado, a Calypso se prepara para o encerramento de suas atividades. O estabelecimento funcionará até o próximo sábado, 29 de fevereiro. E os últimos dias tem sido de grande procura de clientes, dos mais velhos até os recentes. E também de nostalgia para quem dedicou quase duas décadas ao negócio.

Nas semanas derradeiras, aumentou a procura principalmente para compra de filmes. Conforme o proprietário Jorge Machado de Souza, a busca maior é por clássicos do cinema e filmes com sequências e voltados ao público infanto-juvenil. “Vendemos muitos DVDs do Harry Potter, Senhor dos Anéis e também da linha de super heróis Marvel e DC”, comenta.

A videolocadora, inclusive, mantém promoções, incentivando clientes a adquirirem mais filmes por preços diferenciados. “Desde que divulgamos o fechamento, já vendemos quase 3 mil unidades. Praticamente não temos mais da Marvel, por exemplo”, salienta Souza. Lembra que um cliente chegou a adquirir 38 DVDs numa só leva, comprando mais posteriormente.

Repercussão

No dia 11 de janeiro, A Hora publicou reportagem especial sobre o fechamento da última das videolocadoras da cidade. A repercussão foi grande, tanto na cidade quanto nas redes sociais. E o movimento aumentou no estabelecimento nos dias que sucederam a matéria.

“Veio gente falando que era cliente assíduo e que não vinha há 4, 5 anos. Outros vieram se despedir. E teve também pessoas que nunca tinham entrado em uma videolocadora e estiveram aqui”, lembra Souza.

No último sábado, Souza recebeu um cliente de Caxias do Sul, que veio a Lajeado visitar parentes. “Disse que lá não tem mais videolocadoras. Foi perguntando se tinha esse, aquele filme e saiu daqui com uns seis DVDs”, recorda.

Doação de filmes
O imóvel onde funciona a Calypso atualmente já está locado para um futuro empreendimento. Souza ainda não sabe qual será o destino de parte dos DVDs que sobrarem do acervo. “Mas uma parte vamos doar para escolas da cidade. São aqueles filmes mais didáticos”, explica.

bravo