opinião

Deolí Gräff

Deolí Gräff

Jornalista

Coluna sobre sociedade, arte, cultura e expressões comunitárias.

Dicionário de Luzzatto perpetua língua Talian

Por

Vale do Taquari

Presidente da Associação dos Difusores do Talian, Juvenal Dal Castel, que é pesquisador e escritor da língua Talian, autor do drama de ficção bilíngue em Português e Talian “Grigialda Galina Contadina”, entre outras obras literárias, natural do município de Dois Lajeados e atualmente residindo em Porto Alegre, recentemente exibiu no seu perfil no Facebook a aquisição do Dicionário Talian/Português. Com 656 páginas tem como autor o professor Darcy Loss Luzzatto. A obra está sendo comercializada por meio do site de compras on line da Amazon. Ele está disponível impresso e também como e-book.

“Estou muito feliz em ter conseguido este dicionário. Todos que falam o Talian devem ter esta obra porque cada palavra é uma memória e cada frase é uma história”, recomendou Castel. Luzzatto, autor de mais de uma dezena de livros em talian é considerado o homem do Talian. Aos 84 anos de idade é quem mais estudou e conhece a língua, que já é idioma co-oficial em vários municípios do país, colonizados por imigrantes italianos.

Na apresentação do dicionário, o autor explica que a formação do Talian ocorreu na mistura de dialeto vêneto, lombardo, trentino, com um pouco de português “venetizado” que é falado na Serra Gaúcha, no Vale do Taquari, Região de Santa Maria, Norte do Estado, em Santa Catarina, Paraná e Espírito Santo. As famílias italianas chegaram ao Brasil, a partir de 1875. A Itália foi unificada naqueles anos e era um amontoado de diferentes dialetos. Os imigrantes enviados ao interior do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, provinham especialmente das regiões no entorno de Veneza, dos campos de Treviso, Pádua, Belluno, das vilas do norte da Lombardia (Bérgamo, Bréscia) e dos Alpes do Trentino. Não falavam o italiano.

No Brasil, eles se misturaram e criaram uma língua comum que incluía termos dos vários dialetos e alguns em português. Assim nasceu o Talian, que em 2014, com o Guarani e o Asurini do Tocantins, esteve entre as primeiras línguas reconhecidas como Referência Cultural Brasileira pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Este idioma está sendo eternizado através do Dicionário de Darcy Loss Luzzatto.

Castel divulga o dicionário Talian – Português

Rio Forqueta está na míngua

A falta de chuva está visível no Rio Forqueta nas proximidades de Marques de Souza. A foto enviada pela moradora de Travesseiro, Sandra Salvi, mostra o leito com um filete de água.

Boate do Rotary

O Rotary Club de Estrela vai promover a 8ª Boate do Rotary dia 14/03, com início às 22h. O local será a sede social da Soges do centro.

O evento é comemorativo ao 71º aniversário de fundação do clube. O diferencial será a música dos anos de 1970 a 90. A renda será destinada para projetos sociais.

Aniversário de Lajeado

A emancipação de Lajeado ocorreu por decreto assinado pelo governador do estado, Cândido José da Costa, no dia 26/01/1891. Porém, a sua instalação oficial ocorreu em 25/02/1891, há 129 anos.

Na oportunidade, foi dada posse à primeira administração municipal. Assumiu o cargo de administrador do novo município o presidente da Junta Municipal, Frederico Henrique Jaeger.

O livro dos Strassburger

A Festa da Família Strassburger, realizada domingo passado, reuniu famílias de diversas partes do estado e comitivas vindas de Santa Catarina e Paraná. O evento serviu para o lançamento do livro da família, com 294 páginas, de autoria do professor e pesquisador Waldemar Richter.

A obra faz parte da coletânea Nie Gedacht (Nunca pensei), que será formada pela história das 50 famílias que colonizaram Forquetinha.

Cerveja da Univates

A inauguração do Laboratório Cervejeiro da Univates ocorreu dia 20/02. Foi um evento marcante para as micro cervejarias do Vale do Taquari. Efetivamente a região entra no roteiro da cerveja artesanal.

Crédito: Deolí Gräff

Na foto, o brinde que marcou a conquista desta inovação
tecnológica da nossa universidade. Da Esq. p/ Dir.: A diretora
do Tecnovates, Cintia Agostini; o reitor Ney Lazzari; o
mestre cervejeiro Evandro Janovik; a diretora de Inovação e
Sustentabilidade, Simone Stülp; o coordenador do Laboratório
Cervejeiro e do curso de cervejaria, Mariano Rodrigues; e ao
fundo o representante da CIC Regional, Fernando Fensterseifer.
Também precisa ser citada nesta conquista, a diretora dos Cursos
Técnicos Edi Fassini, que não aparece na foto.

bravo