isolados

Pacientes vivem rotina de isolamento

Morador de Lajeado permanece em reclusão faz dias. Jovem de Estrela não sabe mais quando volta para casa.

Por

Pacientes vivem rotina de isolamento
Vale do Taquari

A maior parte dos pacientes que tiveram a confirmação de coronavírus na região tem sintomas leves. Dos cinco casos registrados até ontem à tarde, um homem permanecia em estado grave. No início da noite, porém, o Estado confirmou mais quatro casos na região (outros dois em Lajeado e dois em Anta Gorda).

Pelo menos quatro casos já estão na fase de declínio dos sintomas. Eles seguem isolados em casa, com a rotina totalmente alterada pela presença do vírus que se espalhou pelo mundo nos últimos meses.

Há alguns meses, Vitória Gabrielle Pies, 20 anos, planejava voltar ao Brasil para visitar a família, em Estrela. Ela mora em Dublin, na Irlanda, faz pouco mais de um ano.

Na semana do embarque, ficou doente. “Tive sintomas leves, como tosse, dor de cabeça e dores no corpo junto ao cansaço. Como estava muito frio em Dublin, achei que fosse um resfriado comum”, relata. Poucos dias antes da viagem, ficou sabendo de pessoas próximas que haviam contraído o vírus.

Na quarta-feira, 18, ela desembarcou no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. “Desde o primeiro encontro tomamos todos os cuidados necessários. Vim direto para casa, onde entramos em contato com a vigilância sanitária da cidade. Explicamos a situação e no mesmo dia vieram até a minha casa para fazer o exame”, diz.

De início, Vitória sentiu uma reação negativa, que considera natural em função da aproximação da pandemia. “Não é uma coisa que a gente assiste só nas notícias. Está perto”, diz.

Desde então, a jovem permanece em isolamento na casa da família. Além dela, apenas seu pai. No sábado, recebeu o resultado do exame, que deu positivo para o covid-19.

“Eu tenho certeza de que eu não transmiti para ninguém desde que eu cheguei em Estrela. Vim do aeroporto direto para casa. Não entrei em contato nem com minha família”

Com a confirmação, Vitória permanece em casa. A visita virou reclusão. A volta estava prevista para 20 de abril, agora não tem mais data certa.

Rotina alterada

Dez dias sem sair de casa. Compras feitas pela filha e refeições preparadas em casa. Um casal de Lajeado se adaptou a conviver com uma rotina completamente diferente em função do coronavírus.

O homem de 57 anos, que prefere não ser identificado, teve a confirmação do vírus após uma viagem à Suíça. Desde que o homem voltou de viagem, no dia 15, ele e a esposa permanecem dentro de casa. Estão em quartos separados e até mesmo os banheiros são diferentes, para evitar ao máximo o risco de contágio.

Ao chegar de viagem, entrou em isolamento. Os sintomas só vieram dois dias depois. Dos oito passageiros do grupo que foi esquiar no país europeu, apenas ele e mais um tiveram sintomas e testaram positivo. Os demais, permanecem isolados, mesmo sem sintomas.

Como mora em um prédio pequeno, onde há idosos, os cuidados para evitar a transmissão do vírus foram reforçados. “Não desci nem no elevador mais. Estou cansado de ficar em casa, mas tudo bem, faz parte”, conclui.

bravo