Editorial

Pandemia e recessão

De ontem para hoje, o Vale do Taquari cresceu de cinco para nove casos confirmados de coronavírus.

Atualizado quarta-feira,
25 de Março de 2020 às 12:52

Pandemia e recessão
Brasil

De ontem para hoje, o Vale do Taquari cresceu de cinco para nove casos confirmados de coronavírus. O avanço é preocupante devido à tendência de crescimento exponencial da pandemia em nível nacional nas próximas semanas. Lajeado é a quarta cidade no estado no ranking de quantidade de casos.
Importante destacar que parte dos pacientes contraiu a doença no exterior. Pelo menos três foram infectados em outros países, um em viagem de cruzeiro e outra em congresso no município de Bento Gonçalves.

Ou seja, ainda não há um quadro de transmissão comunitária no Vale do Taquari, como já se vê em outras localidades do estado e do país. Longe de significar um cenário de tranquilidade, a quantidade e as características dos contágios locais reforçam a importância de manter o cerco fechado na região.
A pandemia precisa de atenção máxima das autoridades e população, a exemplo do que aconteceu em outros países, onde o sistema de saúde não conseguiu suportar a demanda de atendimentos para os casos graves. Há também uma grande apreensão acerca da situação econômica que desenha após a crise da pandemia.

Além de se tornar um grande problema de saúde pública, o coronavírus abala economias já consolidadas, como EUA e China, e os efeitos podem ser devastadores em países em desenvolvimento como o Brasil. Diante de um terreno desconhecido e sem precedentes, as autoridades enfrentam dificuldades em tomar as melhores decisões de ordem econômica para evitar que o país tenha o seu quadro socioeconômico agravado ainda mais.

Se de um lado a paralisação das atividades é necessária para conter a multiplicação desenfreada dos casos, por outro, ela implicará em consequências difíceis de reverter num período de médio prazo. É momento, portanto, de o governo federal formular um plano de recuperação econômica arrojado para que o Brasil não mergulhe em uma crise ainda pior.

bravo