Abre Aspas

“Mesmo em quarentena, é importante ter metas para o dia”

Incentivar a prática de exercícios físicos, mesmo sem sair de casa, é o objetivo de Alana Bruxel, 24. No Instagram, a profissional de educação física de Arroio do Meio dá dicas para as pessoas se exercitarem mesmo com o isolamento forçado pelo coronavírus.

Por

“Mesmo em quarentena, é importante ter metas para o dia”
Vale do Taquari

É possível manter a forma mesmo na quarentena?
Com certeza. É só se organizar. Como o dia fica muito longo, a gente acaba deixando algumas coisas que seriam principais como a saúde e focando em coisas não importantes.

• Em redes sociais, você dá dicas de exercícios em casa para ajudar as pessoas. Como surgiu essa ideia?
Trabalho em uma academia. Lá, optamos por realizar orientações a distância. Como não atendemos as pessoas pessoalmente, montamos planos de treinamento para ajudar, principalmente, nossos alunos e deixamos aberto para o público. Esses vídeos são colocados só no perfil da academia. Muitas pessoas não seguem, então decidi colocar também no meu perfil.

• Como teus seguidores estão reagindo a essa iniciativa?
Eles estão curtindo bastante. Tem pessoas que compartilham e publicam nos próprios stories. Está sendo bem legal, pois tem bastante gente interessada. Penso nas pessoas que querem se manter ativas e não têm materiais em casa. Por isso os exercícios são apenas com o peso corporal.

• O que te fez escolher a educação física como profissão?
Escolhi a educação física pois sempre gostei de trabalhar com pessoas. É o trabalho que mais desenvolve minhas habilidades e vontade de fazer algo voltado à saúde. O profissional de educação física trabalha no ato preventivo e não só com a reabilitação de quem tem alguma limitação ou doença.

• Quanto tempo você pratica atividade física?
Faz uns oito anos. Já fazia antes de iniciar o curso. Me apaixonei mais quando percebi que treinar não é apenas questão estéticas, mas emocionais, sociais e também a saúde.

• O que muda para ti quando não pode praticar exercícios?
Tive dois momentos que não consegui me exercitar. Quando rompi o tornozelo e quando engravidei. Sou muito apaixonada por treinos e acredito que isso interfere na minha parte emocional. Quando não podia fazer, ficava até chateada. O exercício me fazia falta. Quando falo para pessoas que não treinam, elas acham isso impossível, mas acontece.

• Treinar é um pouco viciante então?
Digo que é um vício saudável. Mas claro, tem que buscar o equilíbrio também. Não precisa treinar de segunda a segunda. É bom descansar e curtir o tempo com a família. Mas é bom tirar um tempo para pensar em nós e no nosso corpo até para poder cuidar do próximo.

• Como profissional da educação física, qual dica daria às pessoas nesse período de quarentena?
Uma coisa que funciona para mim é organizar e planejar. Embora a quarentena não seja férias, a gente se sente assim, com restrição de ficar em casa. Por isso, mesmo em quarentena, é importante ter metas para o dia. Isso faz com que a pessoa se cobre um mais e tire meia hora ou uma hora para o exercício. Também é importante cuidar a alimentação.

bravo